PUBLICIDADE

Mandela está estável, deve deixar hospital em breve

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela passa bem num hospital depois de ter sido submetido a um procedimento para diagnóstico da causa de dores abdominais, informou o governo do país, que pediu à população que não se alarmasse com o estado de saúde do líder antiapartheid, de 93 anos de idade. De acordo com um comunicado do presidente da África do Sul, Jacob Zuma, Mandela deve receber alta no domingo ou na segunda-feira, depois de ter passado por exames para avaliar uma antiga queixa de dores abdominais. "Madiba (nome como é popularmente conhecido) está bem e plenamente consciente. Os médicos estão satisfeitos com seu estado, que dizem ser consistente com sua idade", diz o comunicado. "Antes de ser hospitalizado, ele estava com boa saúde, mas os médicos sentiram que a queixa requeria uma investigação cuidadosa. Estamos contentes por ele não estar correndo nenhum perigo e agradecemos aos médicos por seu árduo trabalho e profissionalismo." Embora o comunicado trouxesse poucos detalhes médicos, a franqueza e a rapidez da resposta governamental contrastaram fortemente com sua reação um ano atrás, quando Mandela foi internado com problemas respiratórios. Na época, o gabinete de Zuma levou horas para confirmar as notícias da mídia sobre a piora da saúde de Mandela, o que resultou em uma grande concentração de repórteres locais e internacionais diante do hospital Milpark, em Johanesburgo. O governo não informou desta vez onde Mandela está hospitalizado, mas a segurança foi reforçada num hospital militar de Pretória, o qual é oficialmente encarregado de atender aos ex-presidentes e ao atual. Enquanto a mídia divulgava informações não confirmadas de que Mandela estava sendo operado de uma hérnia, um porta-voz do partido governista, o Congresso Nacional Africano aparecia na TV para declarar à população que não havia com que se preocupar. "Não há motivo para pânico", disse Keith Khoza ao canal e-News. "Não foi uma internação emergencial. Estava planejada." A saúde de Mandela não vai bem desde sua hospitalização, um ano atrás. Depois, ele não apareceu mais em público. Como primeiro presidente negro da África do Sul, Mandela, ocupa uma posição central na psique de um país governado pela minoria branca -cerca de 10 por cento da população- até a primeira eleição multirracial, em 1994. No entanto, depois do término de seu mandato, em 1999, Mandela se retirou da vida pública e deixou de ter participação ativa na política do país. Sua última aparição pública em um grande evento foi na final da Copa do Mundo, no estádio de futebol de Johanesburgo, em julho de 2010.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.