Para manifestantes, reunião com Alckmin foi uma vitória

PUBLICIDADE

Por LUCIANO BOTTINI FILHO E RENATO VIEIRA
Atualização:

Os manifestantes que interditavam a ponte João Dias, na zona sul de São Paulo, deixaram o local por volta das 11h30 desta terça-feira, 25. Segundo o grupo, a reunião dos representantes dos movimentos Periferia Ativa, Resistência Urbana e Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MTST) com o Governador Geraldo Alckmin (PSDB) foi uma "vitória". Eles afirmam que Alckmin anunciou uma série de medidas, ainda não confirmadas pelo governo. Entre as promessas estariam o termino, dentro de dois anos, das obras do metrô Capão Redondo/Jardim Ângela e a instalação do transporte intermunicipal 24 horas. O governador teria dito ainda que estuda aumentar o horário de funcionamento do metrô em uma hora. De acordo com os manifestantes, outra medida anunciada foi o aumento da bolsa-aluguel de R$ 300 para R$ 400. Também foi discutida a resolução da pendência jurídica dos assentamentos do Novo Pinheirinho. O grupo disse ainda que vai pedir, na reunião com a presidente Dilma Rousseff, às 16h, a regulamentação do aumento do aluguel, para tentar combater a alta dos preços das locações acima da inflação. Entre as reivindicações dos protestos desta manhã, ficou faltando uma posição sobre o problema da violência policial.A outra manifestação que ocorria na manhã desta terça-feira, em Guaianases, na zona leste, também chegou ao fim.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.