Barco no Pará levava 3,2 toneladas de droga escondidas entre peixes congelados

Entorpecentes foram encontradas em embarcação no Rio Tocantins; quatros pessoas foram presas em flagrante. Conforme a polícia, é a maior apreensão da história do Estado

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

As Polícias Civil e Militar do Pará apreenderam 3,2 toneladas de drogas na noite desse sábado, 13, em uma embarcação no Rio Tocantins, em Abaetetuba, no sul do Pará. Segundo a polícia, é uma das maiores apreensões de drogas do País. Também houve quatro prisões em flagrante na operação Guardião do Norte.

Embarcação onde estavam as drogas, no Rio Tocantins, Pará Foto: Polícia Civil do Pará/Divulgação

“Durante a averiguação de uma embarcação, foi localizada uma carga de entorpecentes escondida entre 3 toneladas de peixes salgados e congelados”, informa a Polícia Civil. As autoridades não revelaram qual foi o tipo de droga encontrada.

As investigações começaram após denúncias feitas aos órgãos de segurança. A operação foi montada pela Superintendência Regional do Baixo Tocantins, com apoio do Núcleo de Inteligência Policial, Núcleo de Apoio à Investigação, Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) e Polícia Militar.

3,2 toneladas de drogas foram encontradas em embarcação no Rio Tocantins, no Pará Foto: Agência Pará/Divulgação

PUBLICIDADE

Os quatro suspeitos foram presos e autuados por crimes ambientais, tráfico de drogas e associação criminosa. A droga apreendida foi encaminhada para a perícia.

Segundo o superintendente Regional do Baixo Tocantins, Mhoab Kayan, responsável pela operação, o trabalho contou com apoio de órgãos municipais na destinação do material apreendido.

“A embarcação utilizada no crime foi confiscada e entregue à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Município, como fiel depositário. As carnes apreendidas foram inspecionadas e distribuídas à população carente de Abaetetuba, em colaboração com a Secretaria de Assistência Social”, disse o delegado.

As drogas se encontravam em meio a peixes congelados. Foto: Agência Pará/Divulgação
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.