PUBLICIDADE

Possível vazamento de gás mata mãe, três filhas e deixa outras três pessoas em estado grave no RS

Investigações apontam que as vítimas podem ter sido intoxicadas por material vazado de gerador de energia; caso aconteceu na cidade de Vacaria

PUBLICIDADE

Foto do author Caio Possati
Por Caio Possati

A Polícia Civil de Vacaria, no Rio Grande do Sul, investiga a morte de uma mãe e três filhas que supostamente morreram por asfixia causada por vazamento de gás de um gerador de energia movido a gasolina. As vítimas foram encontradas na manhã do último domingo, 10, na casa onde moravam, no bairro Vitória.

Outras três pessoas que também estavam no local, um homem de 31 anos e duas crianças, precisaram ser hospitalizadas por causa dos efeitos da intoxicação e estão em estado grave.

Mãe e três filhas morrem em Vacaria por suposto vazamento de gás de gerador de energia movido a gasolina Foto: Polícia Civil de Vacaria/Divulgação

PUBLICIDADE

De acordo com o delegado Anderson Silveira Lima, a principal linha de investigação é a de que as próprias vítimas podem ter colocado o gerador ligado para dentro da residência, e o gás exalado pelo aparelho “tomou conta da casa”.

Ainda segundo Lima, foi o namorado de uma das vítimas que encontrou a família, por volta das 8h30. Aos policiais, ele disse que a casa estava fechada e com forte cheiro de gás.

A mãe já estava morta quando foi localizada pela testemunha. As três filhas, que posteriormente foram a óbito, tiveram as mortes confirmadas no hospital. A mulher tinha 36 anos e as outras vítimas, 15, 11 e 3 anos.

As outras três pessoas que também estavam na casa seguem internadas em unidades de tratamento intensivo (UTI). O homem de 31 anos foi encaminhado para um hospital de Vacaria, enquanto as outras duas crianças, uma de 7 e outra de 9 anos, foram hospitalizadas na cidade de Santa Maria, em UTIs pediátricas.

Gerador de energia que pode ter provocado a morte de quatro pessoas em Vacaria. Aparelho vai passar por perícia. Foto: Polícia Civil de Vacaria/Divulgação

Segundo o delegado, o Departamento de Criminalística fará a perícia de necropsia, uma perícia criminal do local onde aconteceu a possível intoxicação e também uma perícia no gerador de energia. A previsão é de que o resultado das investigações fiquem prontos em até 30 dias.

Publicidade

“Após o resultado das perícias será concluído o inquérito policial”, disse o delegado Lima.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.