Romney e McCain trocam farpas em reta final na Flórida

Tensão entre pré-candidatos republicanos aumenta na fase decisiva da primária estadual.

PUBLICIDADE

Por Bruno Accorsi
Atualização:

O ex-governador Mitt Romney afirmou pouco antes do início da primária republicana no Estado da Flórida que as medidas defendidas pelo senador John McCain no Congresso americano ajudaram a colocar os Estados Unidos "em um rumo liberal ao estilo democrata". O senador reagiu e disse que a campanha de Romney é "centrada em enganar eleitores". Os dois pré-candidatos republicanos travam na Flórida, que realiza sua primária nesta terça-feira, uma guerra verbal cuja intensidade se assemelha aos embates mantidos entre os democratas Hillary Clinton e Barack Obama. Na segunda-feira, Romney acrescentou que projetos de lei defendidos pelo senador sobre energia, imigração e financiamento de campanha "não são conservadores, não são republicanos e não são o tipo de liderança que precisamos para seguir adiante". Foi mais uma tentativa do ex-governador de Massachusetts de classificar McCain como um republicano da ala moderada, que se identifica mais com as posições do partido rival do que com a plataforma conservadora que caracteriza a base republicana. O ex-governador já havia afirmado que McCain por pouco não foi companheiro de chapa de John Kerry, quando o senador democrata concorreu à presidência contra o presidente George W. Bush. Semelhança com Hillary McCain, por sua vez, havia acusado Romney de ter defendido a fixação de um prazo para a retirada das tropas americanas do Iraque e que sua postura era pouco diferente da de Hillary Clinton. O senador procurou ressaltar as mudanças de posição que Romney teria adotado ao entrar na corrida para a Casa Branca. "A verdade é que Mitt Romney foi um governador liberal de Massachusetts, que aumentou impostos, apresentou, juntamente com Ted Kennedy, um programa de saúde estadual dispendioso e administrou a economia de seu Estado de forma incompetente", disse McCain. O ex-governador reagiu, apontando supostas contradições do adversário. "O senador McCain disse ser contra o corte de impostos defendido pelo presidente Bush, mas agora é a favor", afirmou. "Ele foi contra o etanol, depois ficou a favor, depois voltou a ficar contra." No passado, o senador era crítico do biocombustível e contrário ao financiamento público de pesquisas para o etanol. Segundo Romney, ele teria adotado uma linha pró-etanol para atrair simpatizantes em Iowa, Estado que realizou a primeira prévia da campanha eleitoral e que é o maior produtor do biocombustível nos Estados Unidos. Giuliani Os principais candidatos estão se centrando em temas distintos. Romney vem procurando enfatizar a sua experiência administrativa e os problemas da economia americana. McCain tem procurado atrair o voto de veteranos e do elevado contingente de militares da Flórida, destacando a guerra do Iraque. O ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani, que havia centrado toda a sua campanha em uma vitória na Flórida e que ainda não venceu nenhuma prévia, está em terceiro lugar na preferência dos eleitores até o momento, segundo as pesquisas mais recentes. A primária da Flórida é a maior já disputada neste ano pelos pré-candidatos republicanos. Estão em jogo um total de 57 delegados no Estado. Pelas regras do pleito republicano, o vencedor da disputa fatura todos os delegados. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.