PUBLICIDADE

STF liberta Najas, Pitta e mais 9 acusados de crimes financeiros

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, concedeu habeas corpus nesta quinta-feira ao investidor Naji Najas, ao ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta e a outras nove pessoas detidas pela operação Satiagraha, da Polícia Federal, disse a assessoria de imprensa da mais alta corte do país. Mais cedo, a defesa dos 11 libertados protocolou um pedido para que eles fossem beneficiados pela decisão de Mendes, no fim da noite de quarta-feira, que soltou o banqueiro Daniel Dantas e outros dez acusados de integrar uma suposta quadrilha que fez negócios com o grupo de Najas, do qual Pitta seria cliente. O presidente do STF libertou Dantas e os outros dez acusados por julgar que não havia fundamentos suficientes para justificar as prisões temporárias. No entanto, horas depois, Dantas voltou a ser preso, dessa vez preventivamente, por conta de uma suposta tentativa de suborno a um delegado. Najas e outros dez envolvidos terão de responder pelos crimes de formação de quadrilha, operação de instituição financeira sem autorização do Banco Central, uso de informação privilegiada e lavagem de dinheiro. O investidor libanês provocou um terremoto no mercado de capitais do Brasil em 1989. Ele foi acusado de realizar operações ilegais que quebraram várias corretoras e esvaziaram a Bolsa do Rio, principal mercado de ações do país na época. Após anos de batalha judicial, em que chegou a ser condenado a 24 anos e oito meses de prisão, Nahas foi inocentado pela Justiça e briga contra a BM&FBovespa, herdeira do mercado de ações, por uma indenização bilionária. Nahas soma às acusações contra ele a de uso de informação privilegiada, devido a indícios de que ele tenha se aproveitado de um "megacontato" no Federal Reserve, o Banco Central norte-americano, disse a PF. (Reportagem de Maurício Savarese)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.