PUBLICIDADE

Turistas espanhóis barrados reclamam de discriminação

Impedidos de entrar em aeroporto no Rio, espanhóis dizem ter sofrido humilhação.

Por Anelise Infante
Atualização:

Turistas espanhóis barrados no aeroporto Tom Jobim, no Rio de Janeiro, reclamaram da maneira como foram discriminados na chegada ao Brasil. Veja também: Estudante confirma maus tratos sofridos na Espanha à Câmara Câmara deve convocar embaixador da Espanha MPF admite reciprocidade em deportação de europeus  Saiba como agir se for barrado em aeroporto  Brasil deve adotar medidas contra espanhóis Após a volta a Madri, no último fim de semana, três dos deportados afirmaram à BBC Brasil que sofreram humilhações e se sentiram recebidos como "cães sarnentos" por terem passaporte da Espanha. "Ali, o problema é ser espanhol", disse o empresário Pedro Hernández, barrado na semana passada no aeroporto do Rio, depois de ter feito várias viagens ao Brasil nos últimos três anos sem incidentes. "Já no desembarque perguntaram a todo mundo quem era espanhol", diz Hernández. "Os que levantaram a mão foram separados do resto dos estrangeiros, e a polícia veio mostrando as armas e as identificações para intimidar." O casal que preferiu ser identificado apenas como A.S.R. e M.M.S. também reclamou do tratamento na chegada ao país e disse que a sensação foi de humilhação. "Posso entender que estejam chateados com problemas que os turistas brasileiros vêm tendo em Barajas (aeroporto de Madri), mas não que a resposta seja a lei da vingança", afirmou M.M.S. "Não sei o que ganham os brasileiros humilhando os turistas espanhóis", acrescentou a professora de arte madrilenha, de 29 anos, que planejou desde o ano passado a viagem de 20 dias entre o Rio e o Nordeste. Sem hotel O plano do casal era passar uma semana no Rio e terminar o passeio no Ceará. Tinham passagens de volta, cartões de crédito com limite de 10 mil euros cada, mas não tinham comprovantes de reservas de hotel. "Vimos pousadas na internet e queríamos escolher ao chegar lá", disse A.S.R., de 34 anos, fisioterapeuta e namorado de M.M.S. "Jamais imaginamos que isso fosse acontecer", acrescentou. "Ainda esperamos fazer essa viagem, mas vai demorar a passar a má sensação." O empresário Pedro Hernández, no entanto, descarta por enquanto tentar voltar ao Brasil. O turista descreve a experiência como "vergonhosa" e diz ter desistido de seus planos de comprar casas no litoral de Natal. Os incidentes que os veículos de comunicação da Espanha já batizaram como "a guerra das deportações" vêm criando um clima de confronto entre brasileiros e espanhóis na internet. Em blogs, chats e seções de cartas de leitores dos principais jornais do país, aparecem acusações mútuas. Na disputa, brasileiros tentam justificar a reciprocidade, e espanhóis começam a criticar o Brasil em quase tudo. Reciprocidade Os turistas impedidos de entrar no país entrevistados pela BBC Brasil dizem que ouviram policiais aduaneiros citarem casos de brasileiros barrados na Espanha e reconhecerem que estavam aplicando o princípio da reciprocidade. No início da semana, o Ministério de Assuntos Exteriores e de Cooperação da Espanha afirmou que quem quer viajar para o Brasil para a Semana Santa pode ter problemas. Segundo informações do site do ministério, "as autoridades brasileiras estão aplicando com maior rigor os controles de imigração nos aeroportos internacionais brasileiros". O governo brasileiro também reclama do excesso de rigor das autoridades espanholas no cumprimento das regras de entrada de estrangeiros. Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.