PUBLICIDADE

Quem é o jovem violinista brasileiro que ganhou concurso de música nos EUA?

Nathan Amaral, de 28 anos, venceu a 27ª edição do Concurso Sphinx e levou US$ 50 mil para casa. ‘Estadão’ tentou contato com ele, mas não teve retorno

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O violinista brasileiro Nathan Amaral venceu, aos 28 anos, a 27ª edição do Concurso Sphinx em Detroit, nos Estados Unidos, no domingo, 27. Disputando a categoria sênior, entre pessoas de 18 a 30 anos, ele levou US$ 50 mil para casa (cerca de R$ 245,5 mil) e a garantia de apresentar um solo de violino em grandes orquestras do país. Veja acima.

PUBLICIDADE

O concurso premia jovens negros e latinos, tocadores de cordas clássicas. Os competidores se apresentam para um painel de jurados internacionalmente renomados e recebem orientação de profissionais consagrados em suas áreas. Os finalistas tocam com a Orquestra Sinfônica Sphinx, a única negra e latina com os melhores músicos dos EUA.

Amaral recebeu o prêmio após apresentar o 1º movimento do Concerto de Violino de Samuel Coleridge-Taylor em G menor na final da disputa. O segundo lugar ficou com o violoncelista norte-americano Aaron Olguin, de 29 anos, que levou US$ 20 mil (R$ 98,1 mil); e o terceiro, com a violinista norte-americana Bethlehem Kelley, de 22 anos, que ganhou US$ 10 mil (R$ 49,1 mil).

O violinista brasileiro Nathan Amaral venceu prêmio nos EUA Foto: Reprodução/Instagram/@nathan.violin

Natural do Rio de Janeiro, Amaral começou a aprender violino aos 12 anos em um projeto social que usava a música para tirar as crianças das ruas. Desde então, recebeu diversos prêmios, como o Paul Roczek da Universidade Mozarteum, de Salzburgo, na Áustria, como melhor aluno de violino; e também foi duas vezes vencedor do maior prêmio de violino do Brasil, o concurso Eleazar de Carvalho.

Pouco menos de 30 dias antes de ganhar o Concurso Sphinx, o artista fez um desafio nas redes sociais para mostrar 100 dias de seus treinos. Em uma publicação, após vencer a competição, ele disse “ainda tentar absorver tudo o que aconteceu”.

“Finalmente estou em casa e relaxando, tentando absorver tudo o que aconteceu, e treinar é o que me mantém com os pés no chão. Usei o pouco de tempo que tinha para mexer meus dedos lentamente e agradecer meu corpo pela quantidade de trabalho que tivemos nos últimos dias”, escreveu ele no Instagram.

Depois, ele contou que se prepara para a segunda etapa de uma audição e agradeceu o apoio dos seguidores. “Muito obrigado a todos pelas várias mensagens amorosas que recebi e por me apoiarem tanto na minha jornada maluca”, finalizou.

Publicidade

O público o parabenizou nos comentários. “Parabéns pelo talento e dedicação, você é um orgulho para nós brasileiros!”, disse uma pessoa. “Tocou lindíssimo, Nathan! Orgulho de tudo que você tem se tornado! Sempre na torcida por aqui”, falou outra.

O Estadão tentou contato com ele para saber melhor sobre sua trajetória, mas não teve retorno até o momento desta publicação. O espaço segue aberto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.