Opinião|PodNight: Aposta do SBT em levar reprises de podcasts à TV aberta faz sentido?

Emissora estreia nesta segunda o ‘PodNight’, conjunto de programas já exibidos na internet durante as madrugadas

PUBLICIDADE

O SBT estreia nesta segunda-feira, 26, o PodNight, faixa que levará podcasts que fazem sucesso na internet à TV aberta. Num primeiro momento, a ideia causa estranheza. Afinal, trata-se de um conteúdo feito para outras plataformas, públicos e contextos.

PUBLICIDADE

Um dos principais diferenciais do estilo de podcast que se consolidou no Brasil é justamente a maleabilidade de horários que o mundo virtual permite. Como o ouvinte pode dar play na hora que bem entender e voltar a ouvir do trecho em que parou posteriormente, há entrevistas com horas e horas de duração.

Na TV aberta, isso acaba sendo um problema - o próprio PodNight terá que se virar com a edição para encaixar nos 45 minutos que a programação do canal lhe reserva. Na semana inaugural, foram anunciadas entrevistas com Adriano Imperador (originalmente com 1h30 de duração, exibida em abril de 2023), Dr. Bactéria (2h30, maio de 2022), César Menotti (2h, abril de 2022), Elba Ramalho (2h30, maio de 2022) e MC Daniel (3h10, agosto de 2023).

Apresentadores dos podcasts do PodNight do SBT Foto: SBT/Divulgação

Se a ideia era preencher o espaço da madrugada (o PodNight vai ao ar de segunda, terça, quinta e sexta às 2h da manhã, e às quartas à 1h30) com conteúdo reprisado, talvez fosse mais interessante valorizar os próprios produtos da casa. Afinal, o SBT tem tradição em talk-shows, como o Jô Soares Onze e Meia (1988-1999) e o The Noite, programa de Danilo Gentili que completa uma década na emissora daqui a algumas semanas.

Possivelmente uma entrevista de acervo com um artista no início dos anos 1990 que não está disponível na internet chamasse mais atenção do que uma conversa do ano passado que já teve seu tempo de repercussão.

Soa vago ainda o discurso da emissora quando fala em trazer um “conceito interativo, democrático e moderno para a grade”. Em alguns podcasts, há interação ao vivo, com perguntas de internautas a convidados, mas num contexto de reprise isso não se aplica. Sobre a democratização, em geral, já são conteúdos disponíveis de forma gratuita no YouTube. Caso a ideia fosse ‘democratizar’ esses conteúdos a quem não tem acesso à internet, talvez fizesse mais sentido um horário fora da madrugada.

De qualquer maneira, é possível que algum espectador ‘zapeando’ os canais se depare com entrevistas interessantes. Afinal, o conteúdo pode ter qualidade, apenas parece deslocado numa plataforma com particularidades tão distintas.

Publicidade

PodNight do SBT

A faixa foi anunciada em dezembro, mas vai ao ar a partir desta semana nas madrugadas do SBT, por volta das 2h. Em cada dia da semana haverá um podcast diferente. Os escolhidos foram: Flow Podcast (apresentado por Igor 3K), Inteligência Ltda. (Rogério Vilela), Venus Podcast (Yasmin Yassine e Criss Paiva), Papagaio Falante (Sérgio Mallandro) e PodDelas (Tata Estaniecki e Bruna Unzueta).

Segundo a emissora, “as atrações são parcerias com outros estúdios solidificados no mercado do audiovisual, representando entrevistas sem roteiros com grandes nomes da mídia, estilo conversa solta. O objetivo é inserir sucessos da internet na programação, caracterizando uma comunicação multiplataforma e trazendo o conceito interativo, democrático e moderno para a grade”.

Opinião por André Carlos Zorzi
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.