Publicidade

Publicidade

CEO do império de luxo LVMH é investigado por lavagem de dinheiro com oligarca russo na França

Segundo homem mais rico do mundo, Bernard Arnault é suspeito de ocultar compra de propriedades em localidade turística conhecida como ‘playground dos oligarcas’; grupo não quis comentar

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

PARIS – O bilionário francês Bernard Arnault, presidente e CEO do império de luxo LVMH, da grife Louis Vuitton, e o oligarca russo Nikolai Sarkisov estão sendo investigados por suspeita de lavagem de dinheiro em uma localidade turística nos Alpes, anunciou a procuradoria de Paris na quinta-feira, 28.

PUBLICIDADE

De acordo com a fonte, que confirmou informações do jornal Le Monde, o processo incorporou um relatório da unidade de inteligência financeira do Ministério da Economia francês sobre as operações dos dois magnatas na seleta vila de esqui de Courchevel, conhecida como um playground dos oligarcas.

Com base neste relatório, o jornal francês afirma que Sarkisov, de 55 anos, teria comprado 14 propriedades imobiliárias em Courchevel em 2018, por 16 milhões de euros (cerca de R$ 85,2 milhões), através de uma rede complexa de empresas na França, Luxemburgo e Chipre.

Oficialmente, o comprador seria a empresa La Flèche. O nome do oligarca não aparece em seus estatutos, embora ele fosse o proprietário efetivo.

Através desta empresa, Sarkisov teria adquirido outras três propriedades na mesma estação de esqui por 2,2 milhões de euros (R$ 11,7 milhões), gerando um ganho de capital de 1,2 milhão de euros (R$ 6,3 milhões) para outra empresa, a Croix Realty, da qual ele também seria proprietário através de outra complexa estrutura empresarial.

Para financiar essas operações, Arnault, segundo homem mais rico do mundo, teria transferido 18,3 milhões de euros (R$ 97,5 milhões) para Sarkisov. Ele então teria comprado a totalidade da empresa La Flèche, tornando-se o beneficiário efetivo dessas propriedades.

Os investigadores do Ministério da Economia francês, citados pelo Le Monde, consideram que essa estrutura busca “esconder a origem exata dos fundos” e “disfarçar o beneficiário efetivo de todas essas operações, ou seja, Bernard Arnault”.

Publicidade

O bilionário francês Bernard Arnault está sendo investigado por suspeita de lavagem de dinheiro com oligarca russo.  Foto: Benoit Tessier/Reuters

Questionado pela AFP, o grupo LVMH se recusou a comentar. Um porta-voz disse ao jornal Le Monde que a operação foi realizada “no mais estrito respeito pela lei”.

O círculo próximo do oligarca, citado pelo Le Monde, afirmou que o ganho de capital da operação foi apenas de “algumas centenas de milhares de euros” e Sarkisov “não esteve pessoalmente envolvido” nela.

Segundo mais rico do mundo

Bernard Arnault atualmente ocupa a segunda posição no ranking de bilionários da revista Forbes, atrás apenas de Elon Musk. O grupo de artigos de luxo que Arnault comanda, LVMH, reúne grifes como Louis Vuitton, Christian Dior, Tiffany, Sephora, Givenchy e Marc Jacobs, entre mais de 70 marcas.

O empresário francês chegou a aparecer na primeira posição no ranking divulgado pela revista norte-americana em abril deste ano, desbancando Musk, mas o dono da Tesla reassumiu o topo alguns meses depois.

O ranking em tempo real da Forbes estima hoje a fortuna de Bernard Arnault e família em US$ 187,6 bilhões e a de Musk em US$ 252,6 bilhões. / AFP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.