Publicidade

Mercado sobe estimativa de inflação no ano que vem de 5,17% para 5,23%

Projeções do Boletim Focus para a inflação oficial em 2022 e 2023 estão acima do teto da meta referentes a esses anos

Foto do author Thaís Barcellos
Por Thaís Barcellos (Broadcast)
Atualização:

BRASÍLIA - Com o risco fiscal na mira, as expectativas de inflação para os próximos anos voltaram a se deteriorar no Relatório de Mercado Focus divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira, 26.

PUBLICIDADE

Em meio às preocupações com o aumento de gastos aprovado para 2023 e as dúvidas sobre a sustentabilidade fiscal, a projeção para o IPCA - índice de inflação oficial - de 2023 passou de 5,17% para 5,23%. Até então incólume às tratativas fiscais, a mediana para o indicador em 2024 também aumentou, de 3,50% para 3,60%, após oito semanas de estabilidade. Indicando desancoragem mais ampla, a projeção para o IPCA de 2025 avançou pela terceira semana seguida, agora de 3,10% para 3,20%.

No caso de 2022, por sua vez, a estimativa para a alta do IPCA arrefeceu de 5,76% para 5,64%.

As medianas do Focus para a inflação oficial em 2022 e 2023 estão acima do teto da meta referentes a esses anos (de 5% e 4,75%, nessa ordem), apontando para três anos de descumprimento do mandato principal do Banco Central. Para 2024 e 2025, os números indicados pelo Boletim Focus já estão acima do centro da meta, de 3% (margem de 1,50% a 4,50%).

Sede do Banco Central, em Brasília; projeção para o IPCA de 2023 passou de 5,17% para 5,23% no Boletim Focus.  Foto: Dida Sampaio/Estadão

Atualmente, o foco da política monetária está nos anos de 2023 e de 2024. Mas o BC tem dado ênfase ao horizonte de seis trimestres à frente, atualmente o segundo trimestre de 2024.

No Copom deste mês, o BC atualizou suas projeções para a inflação com estimativas de 6% em 2022, 5% em 2023 e 3% para 2024. O colegiado manteve a Selic em 13,75% ao ano pela terceira vez seguida.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.