PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Como concorrentes, SumUp, de maquininhas, aumenta taxas com alta da Selic

Foto do author Matheus Piovesana
Por Matheus Piovesana (Broadcast)
Atualização:
 Foto:

A empresa de maquininhas SumUp está aumentando as taxas que cobra de seus clientes, diante da alta da Selic. Os novos clientes entram na base com preço novo, e os que já operam com a companhia têm tido reajuste. A ideia é repassar o crescimento da despesa financeira, que subiu para todo o setor.

PUBLICIDADE

Em seu site, a empresa estampa taxas de 1% para as transações com todas as modalidades de cartão nos primeiros dois meses de uso da maquininha. Após o período promocional, para clientes com vendas de até R$ 10 mil ao mês, os valores aumentam para 1,9% no débito, 4,9% no crédito com recebimento em um dia útil e 3,7% para receber em até 30 dias por parcelas.

Financiar adiantamento de recebíveis ficou mais caro

Hoje em 13,25% e ainda em ciclo de alta, a taxa básica de juros torna mais caro o crédito que essas empresas tomam para financiar produtos como o adiantamento de recebíveis. Da líder Cielo às desafiantes Stone e PagSeguro, todas estão repassando o custo ao cliente.

O Brasil é um dos cinco maiores mercados da SumUp, que faz parte de um grupo de "desafiantes das desafiantes". Juntas, essas empresas já abocanham uma fatia de quase 15% do mercado, segundo estimativas do setor.

Publicidade

 

Esta nota foi publicada no Broadcast no dia 05/07/22, às 10h59

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.