PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Grupo Gran, de óleo e gás, vende MRO Ativa para Mapa Capital

Empresa atua na área de gestão de estoques de outras companhias, inventário e peças

PUBLICIDADE

Foto do author Cynthia Decloedt
Por Cynthia Decloedt (Broadcast)
Atualização:
'Queremos nos concentrar em nosso 'core business'", diz Miguel Gradin, CEO da GranEnergia Foto: Ernesto Rodrigues/AE - 31/03/2011

O Grupo Gran, da família Gradin, com atuação na indústria de óleo e gás e em transição energética, vendeu o negócio de gestão de estoques, a MRO Ativa, para a Mapa Capital, uma butique de participações e soluções financeiras para empresas, cindida da gestora Mauá.

PUBLICIDADE

“Queremos nos concentrar em nosso core business, de infraestrutura portuária e serviços para plataformas offshore de exploração de óleo e gás e renováveis”, diz Miguel Gradin, CEO da GranEnergia, empresa do grupo de operação e infraestrutura de plataformas de óleo e gás.

Gradin, com 35 anos de experiência nesse segmento, diz que o grupo está otimista com o setor, diante dos US$ 88 bilhões previstos de investimentos para os próximos cinco anos pela Petrobras e companhias estrangeiras.

Valor do negócio não foi revelado

O valor do negócio não foi revelado. A MRO presta serviço de gestão de ativos de grandes empresas e de capital intensivo na otimização e gestão de estoque, inventário e peças. A empresa tem em sua carteira 22 companhias dos setores de mineração, petroquímico, logístico, infraestrutura, entretenimento e saúde. Em 2023, faturou R$ 217 milhões e a projeção para este ano é de chegar aos R$ 300 milhões.

Fernando Beda, sócio fundador da Mapa, afirma que o plano é seguir com crescimento acelerado de seu faturamento, estimando uma expansão de dois dígitos. Nos últimos dez anos, o faturamento da MRO cresceu seis vezes. A Mapa tem aproximadamente R$ 1 bilhão investidos em participações em empresas, como a Plascar, de capital aberto, e a Vest (ex-Restoque).

Publicidade

O Grupo Gran opera no País e no exterior por meio de quatro empresas: GranEnergia, braço de afretamento e operação de embarcações “offshore” para óleo e gás; GranServices, prestadora de serviços de modificação e manutenção de plataformas; DOM E, joint venture com a Prumo que opera no Porto de Açu; e GranBio, de combustíveis sustentáveis, incluindo para aviação (SAF). O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem 13% de participação na GranBio.


Este texto foi publicado no Broadcast no dia 13/03/24, às 16h52

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.