PUBLICIDADE

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Liqi lança token de recebíveis de equipe da Stock Car e tem mais três emissões prontas

Fintech transformou R$ 500 mil da Alfa Racing em ativos digitais

Foto do author Aramis Merki II
Por Aramis Merki II (Broadcast)
Captação é lastreada em patrocínio de equipe de corrida e antecipa as duas últimas parcelas do contrato Foto: Duda Bairros/Stock Car

A Liqi, fintech de infraestrutura blockchain investida do Itaú e da Galápagos Capital, transformou R$ 500 mil em recebíveis da equipe de Stock Car Alfa Racing em tokens. A captação é lastreada no patrocínio master da Alfa e antecipa as duas últimas parcelas do contrato. A oferta foi realizada na plataforma própria da Liqi e esgotou em algumas horas.

PUBLICIDADE

Tokenizar um ativo como este significa criar um contrato inteligente na rede blockchain, a mesma estrutura em que criptomoedas foram desenvolvidas. Este contrato estabelece, por meio de códigos criptografados, que a operação será executada com o valor sendo pago ao detentor do token, conforme o registrado no modelo. No caso do token da Alfa Racing, o investidor receberá rentabilidade de 1.5% ao mês, equivalente a 19,56% ao ano.

Para o originador do ativo, a vantagem é a redução da burocracia, custos e intermediários para colocar a oferta de pé. A Liqi tem outras três operações em fase avançada, que logo devem sair ao mercado, totalizando R$ 30 milhões, diz o fundador Daniel Coquieri. O plano da empresa é tokenizar R$ 500 milhões este ano.

Mercado de capitais está confortável com modelo

“A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deu caminhos para fazermos as emissões. Com isso, o mercado de capitais está confortável para investir em tokens”, afirma Coquieri, referindo-se às regras provisórias que o regulador estipulou no ano passado para operações do tipo.

As ofertas de tokens podem ser feitas com o modelo de financiamento coletivo (crowdfunding) de investimentos, sob a Resolução CVM 88. Ainda assim, as “dores” do universo tokenizado não estão resolvidas, aponta Coquieri. Ainda existem limitações a serem destravadas para que todo o potencial da tecnologia seja aproveitado.

Publicidade

Não há relação direta entre a valorização do bitcoin e demais criptomoedas com o desenvolvimento do mercado de tokens. Independente das oscilações de preços dos ativos negociados em corretoras, a tecnologia blockchain tem mostrado potencial como infraestrutura para as finanças do futuro.

Anbima estuda rede própria

A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) tem como um dos projetos de inovação para o ano a criação de uma rede própria para o mercado de capitais. Vale dizer que o Real Digital (Drex) também é baseado na blockchain.

No caso da Liqi, que se capitalizou em rodadas de investimentos em 2022 e 2023, o plano é de buscar mais aportes este ano. “A tokenização ainda leva um tempo para ganhar grande escala. Quanto mais ficarmos tranquilos em termos de caixa, melhor será para desenvolvermos a nossa tese”, afirma Coquieri.


Este texto foi publicado no Broadcast no dia 13/03/24, às 15h47

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Publicidade

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.