EXCLUSIVO PARA ASSINANTES
Foto do(a) coluna

Bastidores do mundo dos negócios

Mercado vê oferta bilionária ao Casino como declaração de guerra a Naouri

Empresário checo, que tem hoje participação de 10% na varejista francesa, pode ficar com controle do grupo se sua proposta for aceita

PUBLICIDADE

Foto do author Altamiro Silva Junior
Por Altamiro Silva Junior (Broadcast)

O empresário francês Jean-Charles Naouri, dono da rede de supermercados Casino, uma das maiores da França, pode ter que enfrentar uma batalha muito maior do que a que travou contra o brasileiro Abilio Diniz, ao conseguir ficar com o controle do grupo Pão de Açúcar há dez anos. Agora, é alvo de uma oferta de 1,1 bilhão de euros vista pelo mercado como hostil, feita pelo bilionário checo Daniel Kretinsky, que pode ficar com o controle do grupo.

“Foi uma declaração de guerra a Naouri”, disse à Coluna o analista francês da Bryan Garnier, Clément Genelot. Pelos cálculos do analista, se a proposta for aceita, Kretinsky vai ver sua participação na rede de supermercados saltar de 10% do capital para 45,6%. Já Naouri veria sua fatia cair de 51% para 26%. Com dívidas de 3 bilhões de euros vencendo até 2025, o Casino corre contra o tempo para encontrar uma solução para seu problema financeiro.

Com oferta de 1,1 bilhão de euros, empresário checo Daniel Kretinsky pode ficar com o controle do Casino Foto: Eric Gaillard/Reuters

Empresário checo tem fortuna de US$ 9,4 bilhões

PUBLICIDADE

A proposta do checo, anunciada pelo Casino na segunda-feira, foi uma “grande surpresa”, comenta Genelot, pois Kretinsky sempre foi, como acionista do grupo, “muito discreto”. Aos 47 anos, tem uma fortuna de US$ 9,4 bilhões e, entre seus ativos, está uma participação no jornal francês Le Monde e na rede de supermercados inglesa Sainsbury.

Ainda não se sabe, observa o analista, se o investidor agiu sozinho, por vontade própria, ou se foi chamado a resgatar a rede de supermercados, que tenta uma fusão às pressas com a rival Teract. Para Genelot, a proposta de Kretinsky parece concorrer à operação da Teract, mas se aprovada, não atrapalharia uma eventual fusão, pois o investidor poderia negociar os termos e ainda teria a injeção de capital.

O cenário que se desenha, na visão do analista francês, é Naouri, com 74 anos, perder o controle da rede de supermercados de forma mais rápida do que se imaginava inicialmente. Há crescente chance de a holding do empresário, a Rallye, ter que pedir falência.

Publicidade

Esta coluna foi publicada no Broadcast no dia 25/04/2023, às 17h17

O Broadcast+ é uma plataforma líder no mercado financeiro com notícias e cotações em tempo real, além de análises e outras funcionalidades para auxiliar na tomada de decisão.

Para saber mais sobre o Broadcast+ e solicitar uma demonstração, acesse

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.