PUBLICIDADE

Publicidade

De olho no e-commerce, WPP compra empresa de soluções para varejo Corebiz

Apesar da aquisição, gestão da empresa ficará com os fundadores brasileiros

Foto do author Wesley Gonsalves
Por Wesley Gonsalves
Atualização:

Após um ano e meio de negociações, a gigante britânica de publicidade e relações públicas WPP fechou a compra da empresa brasileira de soluções em marketing digital para varejistas Corebiz. Conforme divulgado pela companhia, o novo integrante do grupo terá o papel de auxiliar na expansão e melhorias dos e-commerces de clientes da WPP no Brasil e no exterior. O valor do negócio não foi revelado.

Com a integração de Corebiz ao grupo, as atividades da empresa passam a fazer parte do escritório global de e-commerce da VMLY&R. Apesar da aquisição, a gestão da empresa continua com os fundadores Renan Mota e Felipe Macedo. Atualmente a empresa tem cerca de 700 funcionários no País. “Essa é a segunda aquisição no setor de tecnologia que nós fazemos por aqui em dois anos, isso porque nós acreditamos muito no mercado brasileiro”, afirma o líder de operações da WPP no Brasil, Stefano Zunino.

Da esquerda pra direita, Felipe Macedo, Renan Mota e Stefano Zanuni. Foto: Divulgação

PUBLICIDADE

Zunino aponta ainda que entre os principais motivos para a aquisição da empresa brasileira estão o crescimento do e-commerce no País e as projeções de expansão no futuro. Dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) mostram que o comércio digital no Brasil representou, em 2021, 11,3% de todas as vendas do varejo.

Segundo o fundador da Corebiz, Renan Mota, nos últimos cinco anos a empresa manteve uma taxa de crescimento na casa de 80% ao ano, algo que teria tornado o negócio atrativo para a WPP. “O mercado vem crescendo muito e esse resultado faz parte da nossa cultura”, afirma Mota. 

Na avaliação do especialista em varejo e sócio da consultoria Varese Retail, Alberto Serrentino, a nova aquisição da WPP olha para as transformações do varejo, que tem levado as companhias a se consolidarem como plataformas de conteúdo digital. "Os grandes grupos de comunicação estão atentos a essas mudanças. Eles estão trazendo especialistas para poder ser mais eficientes no se mercado", avalia. 

Futuro

Após assinar o contrato, a Corebiz já se prepara para os planos de expansão do negócio. A meta inicial, ainda segundo Mota, é acelerar o processo de internacionalização, com olhar especial para novos países da América Latina. “Em países onde nossa moeda é mais fraca, nós conseguimos ser muito mais competitivos por conta do câmbio”, diz o fundador. 

Publicidade

E os planos de expansão da nova integrante da WPP não passam por inflar rapidamente o seu quadro de funcionários. A ideia dos executivos é utilizar os recursos humanos de outros escritórios do grupo no mundo, assim evitando futuros desligamentos em massa, situação que virou corriqueira no mercado de startups nos últimos tempos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.