Publicidade

Publicidade

Demanda de consumidores por crédito subiu 5,8% no 1º trimestre

Segundo a Serasa Experian, a queda da inadimplência e o mercado de trabalho aquecido contribuíram no resultado

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

SÃO PAULO - O número de pessoas que buscaram crédito em todo o País no primeiro trimestre deste ano cresceu 5,8% na comparação com o mesmo período do ano passado, informou a Serasa Experian. Em março ante fevereiro, sem ajuste sazonal, o crescimento no Indicador de Demanda do Consumidor por Crédito foi de 11,3%.

PUBLICIDADE

Os economistas da Serasa Experian avaliam que o "recuo da inadimplência do consumidor e a manutenção de uma dinâmica favorável do mercado de trabalho vêm estimulando uma recuperação gradativa da demanda do consumidor por crédito, iniciada no último trimestre do ano passado e que se manteve nesta mesma tendência durante o primeiro trimestre de 2013". Nos últimos três meses de 2012, a alta na busca das pessoas por crédito foi de 5,9% em relação a igual período de 2011.

No trimestre, os consumidores de menor renda mensal lideraram a busca por crédito. O indicador, no grupo dos que ganham até R$ 500 por mês, subiu 12,2% no acumulado dos três primeiros meses do ano. Entre os que recebem de R$ 500 a R$ 1.000 mensais, a alta foi de 8,2% no mesmo período. Para os consumidores que ganham entre R$ 1.000 e R$ 2.000 mensais, o avanço na busca por crédito foi de 3,9% no primeiro trimestre.

Entre aqueles que possuem rendas mais altas, as variações foram menores: alta de 1,3% para os que ganham de R$ 2.000 a R$ 5.000, queda de 0,2% para os que têm rendimento entre R$ 5.000 e R$ 10.000 e alta de 1,2% para aqueles com renda maior do que R$ 10.000.

Os maiores crescimentos na demanda dos consumidores por crédito aconteceram, nos primeiros três meses do ano, no Norte (16,3%) e no Nordeste (11,3%). No Sudeste, a expansão foi de 4,6%, no Sul, de 3,2%, e no Centro-Oeste, de 2,2%. (Equipe AE)

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.