Publicidade

ENTREVISTA-Após Chipre, zona do euro enfrenta regime bancário austero--Eurogroup

Foto do author Redação
Por Redação

O programa de ajuda financeira para o Chipre representa um novo modelo para a solução de problemas bancários da zona do euro e outros países podem ter de reestruturar seus setores bancários, afirmou nesta segunda-feira o presidente do grupo de ministros de Finanças da região, conhecido como Eurogroup, Jeroen Dijsselbloem. "O que fizemos ontem à noite é o que eu chamo reduzir os riscos", disse Dijsselbloem à Reuters e ao Financial Times, horas depois do acerto envolvendo o Chipre. "Se há um risco em um banco, a nossa primeira pergunta deve ser 'Ok, o que você que está no banco vai fazer sobre isso? O que você pode fazer para se recapitalizar?'. Se o banco não pode fazer isso, daí vamos falar com os acionistas e com os detentores dos bônus. Vamos pedir-lhes para contribuir com a recapitalização do banco e, se necessário, os titulares de depósitos não segurados", disse ele. (Reportagem de Luke Baker)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.