Publicidade

Estados Unidos: Joe Biden anuncia US$ 7 bilhões em subsídios para energia solar residencial

Projeto vai atender mais de 900 mil lares em comunidades de baixa e média renda

Foto do author Redação
Por Redação

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, marcou o Dia da Terra na segunda-feira, 22, anunciando US$ 7 bilhões em subsídios federais para projetos de energia solar residencial, que atenderão mais de 900 mil lares em comunidades de baixa e média renda.

PUBLICIDADE

Biden fez o anúncio no Parque Florestal de Prince William, na Virgínia, estabelecido em 1936 como um acampamento de verão para jovens carentes de Washington. Os anúncios de Biden ocorrem enquanto ele trabalha para energizar os jovens eleitores para sua campanha de reeleição.

Os subsídios solares estão sendo concedidos pela Agência de Proteção Ambiental, que anunciou 60 beneficiários. Os novos prêmios vieram do programa Solar for All (Solar para Todos, em português). Quarenta e nove dos novos subsídios são estaduais, seis servem populações indígenas americanas e cinco são prêmios multiestaduais. Eles podem ser usados para investimentos como telhados solares e jardins solares comunitários.

Entre os beneficiários dos subsídios estão projetos estaduais para fornecer telhados equipados com energia solar para residências, residências universitárias e projetos comunitários de energia solar na Virgínia Ocidental, uma organização sem fins lucrativos que opera um programa de arrendamento solar no Mississippi e iniciativas de treinamento de mão de obra solar na Carolina do Sul.

Os projetos devem eventualmente reduzir as emissões equivalentes a 30 milhões de toneladas de dióxido de carbono e economizar US$ 350 milhões anualmente para os lares.

Presidente dos EUA, Joe Biden anunciou subsídios federais para projetos de energia solar residencial que atendem comunidades de baixa e média renda.  Foto: Manuel Balce Ceneta/AP

A energia solar está ganhando destaque como uma fonte chave de energia renovável que poderia reduzir a dependência nacional dos combustíveis fósseis. Não apenas limpa, a energia solar também pode aumentar a confiabilidade da rede elétrica. No entanto, a energia solar pode ter custos elevados de instalação inicial, tornando-a inacessível para muitos americanos - o que potencialmente significa uma mistura da política ambiental com a política eleitoral.

“A energia solar comunitária ampla é nossa maior esperança de proteger as pessoas e nosso clima da praga dos combustíveis fósseis”, disse Jean Su, diretora do programa de Justiça Energética no Centro de Diversidade Biológica. “Esses investimentos direcionados significam que famílias de baixa renda obtêm energia limpa que é acessível, resiliente e protege nossos ecossistemas. É ótimo ver o presidente Biden impulsionar esse programa emblemático.”

Publicidade

‘Banco verde’

O Solar for All é parte do “banco verde” de US$ 27 bilhões criado como parte de uma lei abrangente sobre o clima aprovada em 2022. O banco tem a intenção de reduzir a poluição climática e enviar dinheiro para os bairros mais necessitados, especialmente comunidades desfavorecidas e de baixa renda desproporcionalmente afetadas pelas mudanças climáticas.

O banco verde financiado pelo contribuinte enfrentou oposição republicana e preocupações com a prestação de contas sobre como o dinheiro é usado. A EPA distribuiu anteriormente os outros US$ 20 bilhões dos fundos do banco para organizações sem fins lucrativos e bancos de desenvolvimento comunitário para projetos de energia limpa, como bombas de calor residenciais, melhorias adicionais de eficiência energética em residências e projetos em larga escala, como estações de carregamento de veículos elétricos e centros comunitários de resfriamento.

Dia da Terra

O presidente frequentemente usa o Dia da Terra como pano de fundo para promover as iniciativas climáticas de sua administração. No ano passado, ele assinou uma ordem executiva criando o Escritório de Justiça Ambiental da Casa Branca, destinado a ajudar a garantir que pobreza, raça e status étnico não levem a uma exposição pior à poluição e danos ambientais.

Ele tentou contrastar com os líderes republicanos do Congresso, que pediram menos regulamentação na produção de petróleo para baixar os preços da energia. Os funcionários de Biden rebatem que as políticas republicanas beneficiam empresas de petróleo altamente lucrativas e poderiam, em última análise, minar os esforços dos EUA para competir com os chineses no setor de energia renovável.

Reeleição

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

Biden também criticou os republicanos que querem desmantelar suas políticas de combate às mudanças climáticas. “Apesar da devastação avassaladora em estados vermelhos e azuis, ainda há aqueles que negam que o clima está em crise”, disse o presidente americano, que busca a reeleição em novembro. Ele mirou especificamente os apoiadores do ex-presidente Donald Trump. “Meus amigos republicanos do Make America Great Again (slogan de Trump) não parecem pensar que é uma crise”, disse Biden.

O presidente também aproveitou a viagem para anunciar que quase 2 mil posições no corpo de trabalhadores estão sendo oferecidas em 36 estados como parte do seu programa de treinamento profissional verde American Climate Corps, em parceria com os Sindicatos de Construção da América do Norte. Biden criou o American Climate Corps no ano passado, modelado no New Deal de Roosevelt. “Você será pago para lutar contra as mudanças climáticas”, disse ele na segunda-feira.

Os jovens foram uma parte crucial de uma coalizão ampla, mas potencialmente frágil, que o ajudou a derrotar o então presidente Trump em 2020. A campanha de Biden espera que seus esforços climáticos possam energizar os jovens eleitores antes de novembro. Funcionários seniores da administração disseram que os jovens americanos estão profundamente investidos na agenda climática de Biden e querem ajudar a implementá-la, e o Climate Corps é uma forma de fazer isso. / AP

Publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.