Publicidade

Publicidade

Fundos já se preparam para compra de ações da Eletrobras com FGTS

Bancos miram investidores de varejo que queiram usar até 50% dos recursos que estão no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço para aquisição de papéis da empresa

Foto do author Cynthia Decloedt
Por Cynthia Decloedt (Broadcast)
Atualização:

As gestoras já têm 17 fundos preparados para adquirir ações da Eletrobras com recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), enquanto outros dois darão acesso a ações da estatal para quem não quer usar esse recurso, de acordo com informações que constam no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

PUBLICIDADE

Os fundos miram investidores de varejo que queiram usar até 50% dos recursos que estão no FGTS para comprar ações da Eletrobras ou para que migrem posições em Petrobras e Vale, adquiridas no processo de privatização com recursos do FGTS, para ações da Eletrobras.

São fundos estruturados pelas gestoras do BB, Bradesco, Itaú, Santander, BTG Pactual, Safra, Caixa e Daycoval, além de XP, Genial e Guide. As casas aguardam o início das apresentações da oferta aos investidores, também chamado de roadshow, para começar a captar recursos junto aos clientes, de acordo com fonte. O Itaú está estruturando, além do fundo de migração e mútuo para investimento com recursos do FGTS, dois fundos de ações dedicados exclusivamente as ações da Eletrobras, não vinculados ao uso do FGTS.

Prédio da Eletrobras; gestoras já estão engatilhadas para compra de ações com FGTS Foto: Pilar Olivares/Reuters

 A oferta de um volume gigante de ações da Eletrobras, podendo envolver R$ 30 bilhões, deve acontecer em meados de junho, e a indústria financeira já vinha se preparando há algum tempo. No ano passado, a Eletrobras selecionou os bancos que farão a oferta e os agentes já se posicionaram. A estruturação dos fundos não é algo muito simples, de acordo com uma fonte, especialmente por envolver uma conexão com recursos que estão no FGTS.

O uso de recursos do Fundo para comprar ações da Petrobras foi liberado em 2000, enquanto o mesmo tipo de operação para a Vale foi liberado em 2002 (apesar de a companhia ter sido privatizada nos anos 1990). A contar pelo valor em que as ações estão sendo negociadas na bolsa hoje, investidores teriam maior incentivo a sair de Petrobras do que de Vale para adquirir papéis da Eletrobras.

As ações da Eletrobras operam em torno de R$ 43 na tarde desta quinta-feira, 17, enquanto os papéis da Petrobras eram negociados ao redor de R$ 32 e os da Vale, na casa de R$ 75.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.