Publicidade

Índice de cheques devolvidos cai 9,13% em outubro

Segundo a Telecheque, consumidor tem sido mais cauteloso no uso do crédito

Por Agencia Estado
Atualização:

O índice nacional de cheques sem fundos apresentou queda de 9,13% em outubro, na comparação com o mesmo período de 2005, conforme levantamento divulgado nesta quinta-feira pela Telecheque. O estudo, que mede a inadimplência com cheques por meio do volume financeiro, mostrou que o indicador foi de 2,19%, ante 2,41% em outubro do ano passado. A companhia de análise de crédito destacou, entre outros fatores decisivos para o recuo, o uso mais cauteloso do crédito por parte do consumidor. Segundo a Telecheque, o aumento da oferta de emprego neste período do ano, em parte por conta da abertura de postos de trabalho temporário na indústria e comércio, também deve ter reflexos nos índices de inadimplência deste último trimestre. Além deste fator, há a expectativa da chegada do 13º salário, que, conforme observou a companhia, "impulsionará fortemente a liquidação de dívidas". O levantamento da Telecheque apontou que o comportamento do consumidor em outubro já deu esses sinais. No período, do valor total movimentado com cheques no varejo, 97,16% foram honrados, contra 96,88% em outubro de 2005. Isso, mesmo com o aumento de 14,84% no valor médio do cheque transacionado, que passou de R$ 113,00 para R$ 130,00. No ranking dos Estados, o estudo mostrou que o Maranhão liderou entre os locais com maior índice de cheques sem fundos. O indicador do Estado atingiu 5,16% e foi seguido por Mato Grosso (3,81%) e Sergipe (3,24%). Na outra ponta, as menores ocorrências ficaram por conta dos Estados de Goiás (índice de 1,06%), Santa Catarina (1,16%) e Alagoas (1,64%). São Paulo e Rio de Janeiro ficaram na zona intermediária, com índices de 2,05% e 2,08%, respectivamente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.