Publicidade

Mesada não pode ser usada como chantagem

A mesada é um bom instrumento na educação financeira dos filhos. No entanto, um dos erros mais comuns é usá-la como forma de chantagear a criança. Especialistas alertam que essa prática deve ser evitada.

Por Agencia Estado
Atualização:

Muitos pais não conseguem resistir e acabam usando a mesada ou semanada como chantagem, uma forma de obrigar a criança a cumprir com suas obrigações. De acordo com a educadora financeira, Cássia D´Aquino, essa atitude constitui um grande erro, pois anula o processo educativo. "E isso é o que mais acontece. Os pais não podem cair nessa tentação. Há o risco da criança se tornar uma grande chantagista. Se for assim, melhor não dar nada", alerta. Frases do tipo: "se não estudar, corto sua mesada", "como castigo, não terá dinheiro na próxima semana", entre outras, devem ser evitadas. Outro erro que não deve ser cometido é associar a mesada a atividades domésticas, como arrumar a cama, organizar o quarto, recolher os brinquedos, entre outras. "A criança deve saber que, por fazer parte da rotina da casa, tem obrigações e deve cumpri-las. Não pode ser premiada por isso", explica Cássia D´Aquino. Controlar o dinheiro que o filho ganha em datas comemorativas, como aniversário, Natal e Dia da Criança, não é uma atitude recomendável, segundo ela. Ao invés disso, os pais podem conversar e incentivar o filho a guardar. Podem também estabelecer um objetivo para o dinheiro, como comprar uma bicicleta. Buscar equilíbrio Caso o dinheiro acabe e a criança peça mais aos pais antes da data de receber a próxima quantia, eles devem negar", aconselha Cássia D´Aquino. Para o consultor financeiro Mauro Halfeld, uma opção é dar um adiantamento e descontar na próxima mesada ou semanada. Porém, os pais devem explicar para a criança que ela receberá uma espécie de punição. "Como no cheque especial, o desconto da próxima semana deve incluir juros para não cometer o mesmo erro quando adultos." Deve haver um equilíbrio entre recompensas materiais e não materiais. "Nada melhor para um filho do que saber que os pais se orgulham dele. Dar atenção é sempre melhor que dar presente. Para a criança, é muito sofrido receber apenas coisas materiais." Mauro Halfeld acrescenta que os pais devem evitar os presentes sem motivo específico para não acostumar mal a criança. A função da mesada ou semanada é 100% educativa, explica Mauro Halfeld, e isso dá trabalho. "Não é difícil chegar ao bom senso. É só saber que não se pode facilitar demais a vida da criança, porque será diferente mais para frente. Ela deve ter consciência que a vida exige sacrifícios desde pequena", completa. Veja nos links abaixo como ensinar a criança a lidar com dinheiro desde cedo, a poupar e a negociar dentro do processo de educação financeira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.