WPP escala Karina Ribeiro para liderar fusão da VMLY&R e Wunderman Thompson

A partir de janeiro de 2024, a executiva assume a chefia da nova marca VML Brasil formada pelo conglomerado britânico de mídia

PUBLICIDADE

Foto do author Wesley Gonsalves
Por Wesley Gonsalves

Com a fusão das agências VMLY&R e Wunderman Thompson, a gigante do mercado publicitário WPP escolheu Karina Ribeiro para capitanear a criação da nova marca do grupo: a VML Brasil. A executiva chega à presidência da companhia criativa a partir de 1 de janeiro.

PUBLICIDADE

Com quase duas décadas trabalhando em empresas do grupo britânico, Karina teve passagens pela Ogilvy e David. Mais recentemente, era a diretora de marketing e novos negócios da Ogilvy Brasil. “Nós estamos unindo empresas ultra reconhecidas dentro do mercado em uma nova agência. É um novo capítulo da VML,” diz a executiva.

Diante das mudanças, a nova presidente da VML Brasil passa para Stefano Zunino, atual country manager da WPP no Pais, também assumirá a função de CEO do Grupo VML Brasil, que engloba outras 10 marcas do conglomerado de mídia. À frente da cadeira de CEO, Karina assumirá uma agência com aproximadamente 58 marcas diferentes de 27 clientes.

A executiva Karina Ribeiro está há quase 20 anos trabalhando em empresas da holding WPP e agora assume a nova fase da VML Foto: Alex Silva/Estadão

Para interlocutores próximos do mercado publicitário ouvidos pela reportagem, a escolha de Karina à presidência da agência VML foi recebida com um certo grau de surpresa, por se tratar de uma executiva mais “low profile”. Por outro lado, foi considerada positiva por ser mais uma mulher à frente de uma das principais companhias do mercado nacional, o que mostra o fortalecimento da pauta de equidade de gênero dentro do setor. “Ela era uma pessoa muito próxima ao Luiz Fernando Musa, (CEO da Ogilvy) que tinha um bom trato dentro do WPP”, disse um executivo, que aceitou falar sob a condição de anonimato.

A escolha de Karina foi anunciada na esteira de outra mudança na alta chefia das agências no País. Na última semana, a WMCann Brasil divulgou que a partir de 2024, com a saída de André França, Renata Bokel deixa a função de vice-presidente de operações e estratégia da agência para assumir o cargo de CEO. A executiva está há pouco mais de quatro anos no time de negócios da agência.

Em entrevista ao Estadão, Karina também comemorou a escolha de Renata Bokel à presidência da agencia concorrente. ”Não é só ter essa representatividade, eu acho que é ter essa noção de que mais mulheres podem olhar para cima e se sentirem representadas na alta liderança e mostrar que elas também podem”, afirma.

Para Márcia Esteves, a CEO da agência Lew’Lara/TBWA e presidente da Abap, a escolha de Karina e Renata, por exemplo, deve ser comemorada, em um mercado que por muitos anos foi guiado apenas por homens. “Nada mais justo que nós tenhamos um equilíbrio maior de gênero dentro das lideranças do mercado”, avalia Márcia. “As grandes agências estão dando o exemplo. Eu fico feliz que, olhando para as ‘top 20′ nós temos mais mulheres chegando no topo”, complementa.

Publicidade

Junto com Karina Ribeiro, Stefano Zunino será o 'country manager' do grupo VML Brasil que agrega outras 10 marcas no País Foto: Divulgação VML

Dança das cadeiras

Conforme divulgado pelo grupo WPP, Fernando Taralli, que ocupava o cargo de CEO da VMLY&R Brasil, assumirá uma posição junto a clientes do conglomerado na América Latina.

Com a fusão das duas agências, a nova operação criativa da VML Brasil será chefiada por Sleyman Khodor, que atuava como diretor de criação da VMLY&R. Nos últimos três anos, a VMLY&R e a Wunderman Thompson conquistaram, juntas, 34 Leões no Cannes Lions International Festival, do qual o Estadão é o representante oficial no Brasil.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.