Black friday: outlets físicos e digitais oferecem descontos de até 85%; confira

Catarina faz estreia da expansão neste ano com todas as 300 lojas em promoção; na Privália, procura por resorts no Nordeste estão em alta

PUBLICIDADE

Foto do author Wesley Gonsalves
Por Wesley Gonsalves
Atualização:

Para quem não abre mão de fazer suas compras durante a Black Friday e está em busca de descontos para a data de promoções, além dos sites de varejistas tradicionais, os outlets físicos e virtuais são algumas das opções para os consumidores contumazes e ávidos por preços mais baixos.

PUBLICIDADE

Na edição da black friday que começa nesta sexta-feira, 24, gigantes do mercado de outlets apostam em ofertas que podem chegar a 70% de desconto do preço dos produtos, que, tradicionalmente nesses negócios já são ofertados abaixo do valor praticado no comércio tradicional.

O Catarina Fashion Outlet, do grupo JHSF, chega na Black Friday com descontos de até 70% após a estreia da nova fase da operação que duplicou de tamanho neste ano. O “Best Friday Catarina” vai envolver todos os lojistas do empreendimento, com com promoções que vão de 23 a 26 deste mês. A expectativa é que o evento amplie em até 50% o fluxo de consumidores no empreendimento.

No segmento de luxo, a italiana Ferragamo vai vender uma bolsa de R$ 5,9 mil por R$ 3,6 mil, aproximadamente 38% em relação ao preço original. Ainda na alta renda, uma bolsa da também italiana Gucci comercializada no preço cheio por R$ 17 mil, na loja do outlet sai por 50%, a “meros” 8,6 mil.

Catarina Outlet, na cidade de Sao Roque, interior de Sao Paulo Foto: Taba Benedicto/Estadão

Desde a inauguração da nova fase do empreendimento, o shopping passou de 150 para 300 lojas, entre nomes como Le Creuset, Carol Bassi, NBA Store, Alexandre Birman entre outros. Conforme divulgado pela companhia, no último trimestre o serviço de outlet cresceu 11,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, mantém o crescimento do negócio em “dois dígitos” do maior outlet da América Latina e único a oferecer marcas de luxo como Gucci, Dolce&Gabanna, Ferragamo e outros nomes do segmento de alta renda.

O presidente da JHSF Malls, Robert Bruce Harley, conta que além da ampliação do número de lojas, nova fase do negócio apostam no aumento das experiências para os consumidores, com serviços como cinema, área para crianças e adolescentes, serviços pet entre outras benesses. “As experiências no Catarina que aumentam o tempo que os clientes ficam no shopping, o que aumenta as vendas”, diz.

Outlet Digital

Os consumidores que querem aproveitar as ofertas dos outlets na black friday sem sair de casa, a opção é apostar nos sites especializados que atendem virtualmente, ou marcas das unidades físicas que realizam vendas pelo whatsapp.

Publicidade

Na Privalia, a chegada da Black Friday consolida a estratégia da companhia de ampliar as vendas ao longo de todo o mês de novembro. Para atrair o público, a plataforma tem ofertado produtos com descontos que chegam a 85% de desconto em relação ao preço original, entre outras benesses como cupons e frete grátis.

De acordo com dados do Privalia, entre as marcas mais buscadas pelo público que busca por descontos estão Crocs, Lacoste e Nike, enquanto no segmento de marketplace da empresa, nomes como Eudora, Decathlon e Quem disse Berenice aparecem entre os mais procurados.

Na vertical de viagens da plataforma, os consumidores têm procurado por oportunidades de hospedagem em negócios como o Enotel Porto de Galinhas, Wyndham Casa di Sirena e Transamérica Comandatuba.

O presidente da Privalia, Fernando Boscolo, conta que neste período de ofertas o site chega a receber um fluxo de visitantes até quatro vezes maior do que no restante do ano, com a maioria dessas visitas, cerca de 90%, sendo no aplicativo da empresa. Com isso, a expectativa é de quintuplicar as vendas que ocorrem de hoje a domingo, 26.

PUBLICIDADE

“A black friday é uma operação relevante para nós do digital porque o tráfego de clientes é muito intenso”, afirma.

O executivo acredita que parte desse incremento no público ocorre diante da sensação de “Fomo”, (Fear of Missing Out, na expressão em inglês), uma espécie de ansiedade de perder as oportunidades em meio a tanta gente falando sobre o tema da black friday.

“As pessoas falam muito de black friday, aí em geral, o público acaba visitando todos os sites, e nós aproveitamos isso”, diz Boscolo, que explica que apesar dos visitantes trazidos pelo buzz da data de promoções, a maioria do público da companhia é formado por consumidores que têm uma relação de longo prazo em compras na plataforma. “O principal cliente ainda é o recorrente na Privalia”, enfatiza.

Publicidade

Na avaliação do analista de varejo da Empiricus, Fernando Ferrer, apesar de ser um segmento pouco representativo em volume de vendas no País, quando comparado a outras economias como dos Estados Unidos, o setor de outlet tem potencial para crescer ainda mais no mercado brasileiro. “É um canal importante porque serve para desovar estoques antigos sem impactar a percepção de valor das marcas”, avalia o economista.

Ferrer pontua que ainda é comum um certo sentimento de desconfiança do público em relação a efetividade das promoções nesses negócios, mas que essa percepção deve ser diluída conforme o segmento se estabelece e amplia as operações pelo País. “Pode ser uma questão de tempo para as novas oportunidades surgirem”, diz.

Para o especialista em varejo da Strong Business School (SBS), seja no varejo tradicional, no vitural, ou nos outlets, a recomendação para não comprar produtos que tenham ofertas falaciosas é justamente a pesquisa. “O cliente pode acompanhar a evolução dos preços em sites como Zoom e Buscapé, que ajudam a avaliar se aquele preço é realmente uma oportunidade”, diz.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.