Publicidade

CEO da Vale diz confiar que conselho decidirá sucessão de forma ‘profissional’ e ‘correta’

Mandato de Eduardo Bartolomeo termina em maio, mas conselho está rachado sobre sua recondução ou substituição no cargo

Foto do author Jorge Barbosa
Por Juliana Garçon e Jorge Barbosa (Broadcast )
Atualização:

RIO E SÃO PAULO - O presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, afirmou nesta sexta-feira, 23, confiar no trabalho do Conselho de Administração da empresa, que decidirá sobre a sua recondução ou substituição no cargo. “Não cabe a mim comentar. Tenho confiança de que o conselho está fazendo tudo de forma profissional e correta”, disse durante teleconferência da Vale com analistas para comentar os resultados da mineradora.

PUBLICIDADE

O executivo pontuou que a gestão da companhia continua focada em atingir suas metas. “Estamos focados, independente da decisão, para gerir a Vale para que continue de forma segura, direcionada, com as metas estabelecidas. Estamos totalmente concentrados nisso.”

Em meio ao debate sobre a sucessão em sua presidência, a Vale anunciou na quinta-feira, 22, um lucro de R$ 39,94 bilhões em 2023, cifra que representa um tombo de 58% frente o resultado do ano anterior. O desempenho mais fraco se deve a perdas cambiais e ao menor preço médio realizado pelos insumos no período.

Bartolomeo disse que 2023 foi marcante para a Vale, com resultados que mostram a mudança cultural na companhia Foto: Matt Writtle/Vale

A mineradora anunciou ainda que irá pagar R$ 11, 7 bilhões em dividendos aos acionistas. O valor foi aprovado em reunião do conselho de administração da empresa, a primeira após o encontro extraordinário da última semana, cujo objetivo foi tratar do futuro de Bartomoleo.

O mandato do presidente da Vale termina em maio, mas o conselho está rachado, e a etapa atual do processo está se estendendo mais do que o esperado. Caso os conselheiros decidam encerrar o contrato do executivo, uma consultoria especializada vai elaborar uma lista tríplice com sugestões de executivos. Enquanto isso, o impasse começa a afetar os papéis da mineradora, que já recuaram cerca de 15% neste ano.

Nesta sexta, Bartolomeo afirmou que a companhia está “buscando um CEO sólido” para a Vale Base Metals Limited (VBM), entidade gestora do negócio de metais de transição energética da empresa. Segundo ele, já há uma lista de nomes e logo haverá um anúncio.

Mark Cutifani, presidente do conselho da VBM, frisou que o processo de seleção seguirá seu curso no tempo adequado. “Não estamos com pressa para fazer o anúncio do novo CEO da VBM.”

Publicidade

Ritmo acelerado

Bartolomeo disse ainda que 2023 foi marcante, com resultados que mostram a mudança cultural na companhia. “Em 2024, estamos em um ritmo acelerado para apresentar um ótimo desempenho”, afirmou. “Fizemos o que prometemos e entregamos o guidance (projeção da empresa para o ano).”

O CEO afirmou que a companhia está sendo levada ao “nível mais alto de desempenho”, apoiada nos avanços em segurança, estabilidade operacional, volumes crescente, metais de transição e ótica ESG.

A respeitos dos esforços para aumentar o portifólio de alta qualidade, o executivo destacou a inauguração da fábrica de briquetes em Tubarão e a transação com a Anglo American, anunciada na quinta. “Nossa parceria com a Anglo American trará sinergias para a produção de aglomerados.”

PUBLICIDADE

Bartolomeo destacou que o quarto trimestre foi “muito forte”, com a produção superando o guidance. “Estamos garantindo a confiabilidade de nossos ativos”, disse, detalhando: “Em dezembro, tivemos a maior produção mensal desde 2018. Esperamos atingir 340 milhões a 360 milhões de toneladas até 2026 em produção.”

Segundo o CEO da Vale, a companhia espera avançar para 90% das obrigações concluídas na reparação de Brumadinho. Em Mariana, disse, a reparação atingiu 460 mil pessoas indenizadas e 85% das soluções de moradia entregues. “Em Mariana, já houve desembolso de R$ 34,7 bilhões”, citou. “Continuamos a negociar um acordo definitivo de reparação.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.