PUBLICIDADE

Publicidade

Hurb demite cerca de 40% dos funcionários, um dia após suspensão de venda de pacotes flexíveis

Empresa fala em ‘readequação de quadro de colaboradores’ e lamenta as decisões tomadas

Foto do author João Scheller
Por João Scheller
Atualização:

Um dia após a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) determinar a suspensão das vendas de pacotes flexíveis pela agência de viagens Hurb, a empresa iniciou um processo de demissão de cerca de 400 funcionários. O número é equivalente a cerca de 40% do total de colaboradores da companhia, segundo funcionários da empresa. Posts no LinkedIn mencionam o desligamento de profissionais de diferentes áreas, como designers, programadores e gerentes de operação.

Em nota, a companhia menciona a “readequação de seu quadro de colaboradores, além de outras ações que visam a redução de despesas”. A empresa afirma ainda que “está promovendo mudanças em todas as suas áreas, como parte da reestruturação da companhia” e lamenta as decisões tomadas.

PUBLICIDADE

A modalidade flexível era um dos principais negócios da empresa e consistia na possibilidade dos clientes sugerirem três possíveis datas de viagem para que a Hurb selecionasse uma delas ou uma data próxima. A flexibilidade fornecida pela modalidade permitiria com que a companhia buscasse preços mais competitivos, o que justificaria os valores baixos cobrados pelos pacotes.

Porém, com o número cada vez maior de clientes sem resposta da empresa após o limite de envio das informações de viagem fez com que uma enxurrada de críticas surgissem nas redes sociais e em canais de reclamações como Reclame Aqui e na própria Senacon.

Como o Estadão mostrou, só nos primeiros quatro meses deste ano, o número de processos contra a companhia na Justiça de São Paulo foi 46% maior do que o registrado em todo o ano passado.

CEO da Hurb João Mendes, que renunciou ao cargo no final de abril Foto: Hurb/Divulgação

A reação do então CEO da empresa, João Mendes, fez com que a crise de imagem se agravasse ainda mais. Ele divulgou vídeos institucionais debochando das reclamações e chegou a gravar e publicar nas redes o momento em que xingava um cliente que se queixava sobre o cancelamento de uma viagem com a Hurb em um grupo de mensagens.

No final de abril, após o aumento das críticas, Mendes renunciou ao cargo, dando espaço a Otavio Brissant, até então general council da Hurb. O novo presidente chegou a protocolar junto à Senacon um plano de ação para solucionar os problemas que a empresa vinha enfrentando junto aos clientes.

Publicidade

Em entrevista ao Estadão, João Mendes chegou a afirmar que todos os usuários que compraram passagens com a Hurb iriam viajar e disse que fora “pego de surpresa” pela dificuldade de acessar o caixa da empresa e honrar os contratos.

A suspensão pela Senacon das vendas de pacotes flexíveis foi anunciada na segunda-feira, 29, devido a “irregularidades encontradas nas práticas comerciais” da Hurb. Segundo nota divulgada pelo órgão, a medida foi tomada para garantir que os problemas referentes às vendas já realizadas sejam sanadas antes de novos pacotes serem comercializados pela Hurb.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.