PUBLICIDADE

Publicidade

Nestlé fica perto de anunciar compra da Kopenhagen por R$ 4,5 bilhões

Venda faz parte de processo de desinvestimento do fundo americano Advent; expectativa é que negócio seja anunciado oficialmente nesta quarta-feira

Foto do author Altamiro Silva Junior
Foto do author Talita Nascimento
Por Altamiro Silva Junior (Broadcast) e Talita Nascimento
Atualização:

A Nestlé está nos trâmites finais da negociação para a compra da Kopenhagen, por valor próximo a R$ 4,5 bilhões. A venda, que ainda não foi assinada, faz parte de um processo de desinvestimento do fundo americano Advent, que busca liberar recursos para novas oportunidades no varejo. A expectativa é que o negócio seja anunciado oficialmente nas próximas horas.

No mês passado, o fundo de investimentos vendeu 85% de sua participação no Carrefour com uma visão parecida. Segundo apurou o Estadão/Broadcast, os recursos devem ser direcionados para investir em redes regionais varejistas ou de atacarejos.

O fundo americano Advent comprou a Kopenhagen em 2020. Este ano contratou o Goldman Sachs para estudar “alternativas estratégicas” para a empresa de chocolates. Na mesa, havia a opção também por uma abertura de capital (IPO). Já a Nestlé foi assessorada pelo UBS BB.

Além da Nestlé, Kopenhagen foi oferecida a outros compradores, como a Cacau Show.  Foto: Divulgação

PUBLICIDADE

Além da Nestlé, a Kopenhagen foi oferecida ainda a outros compradores, como a Cacau Show. O nome da Nestlé vinha circulando nos últimos dias entre banqueiros da Faria Lima como um dos favoritos para a compra da Kopenhagen.

Uma das dúvidas era se a empresa suíça estaria disposta a enfrentar novamente reguladores brasileiros, após um trâmite de mais de 20 anos no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) da compra da Garoto, anunciada em 2002 e aprovada só em 2023.

Recentemente, a Nestlé anunciou que vai investir R$ 2,7 bilhões em suas fábricas de biscoitos e chocolates no Brasil até 2026. No último ciclo, de 2019 a 2022, o valor aportado pela empresa no País foi bem menor, próximo a R$ 1 bilhão. Para se ter uma ideia da relevância do número, o total a ser investido nesses três anos no País representa mais de 50% do que a Nestlé vai investir no mundo em chocolates e biscoitos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.