Publicidade

Produção de chocolates cresce 6% em 2023, e consumo sobe para 3,9 kg per capita

Páscoa do ano passado contou com 10,8 mil toneladas do produto, um aumento de 21% em relação a 2022; expectativa para 2024 é de mais uma alta, de 15%

Por Karla Spotorno (Broadcast)

O Brasil produziu e consumiu mais chocolates no ano passado. Segundo levantamento inédito da Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab), o País teve um crescimento de 6% na produção de chocolates em 2023 (805 mil toneladas) em relação ao ano anterior (760 mil toneladas). O consumo per capita também aumentou: passou de 3,6 kg em 2022 para 3,9 kg em 2023.

PUBLICIDADE

Na avaliação do presidente executivo da associação, Jaime Recena, o aquecimento dos negócios no setor é resultado da variedade ofertada — em termos de gramaturas, tamanhos, sabores — e também da capilaridade da distribuição em todo território nacional.

A produção de produtos para Páscoa em 2023 foi de 10,8 mil toneladas, o que representou um aumento de 21% em relação à fabricação para a data em 2022. A expectativa para 2024 é de mais um ano de crescimento na fabricação de ovos e itens característicos do período.

A estimativa da Abicab é de aumento de 15%, em meio ao “cenário econômico positivo de inflação controlada, PIB (Produto Interno Bruto) em crescimento e as indústrias próximas ao consumidor”.

Produção e consumo de chocolate no Brasil aumentaram em 2023 Foto: Salina Hainzl / Free Images

Exportação

O comércio do produto com outros países também cresceu em 2023. O Brasil exportou 16% a mais no ano passado, quando vendeu 43 mil toneladas para outros países. Em 2022, havia exportado 37 mil toneladas. A importação cresceu praticamente no mesmo ritmo, passando de 17 mil toneladas para 20 mil toneladas.

Como exportador, o Brasil ganhou, pelo segundo ano consecutivo, o certificado da Organização Internacional do Cacau (ICCO, na sigla em inglês) como País com cacau 100% fino e de aroma.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.