PUBLICIDADE

Publicidade

Ex-judoca cria projeto para ensino de robótica na Rocinha, no Rio

Em parceria com a Hurb, aulas no Projeto Reação, liderado por Flávio Canto, estimulam o contato com o mercado de tecnologia desde cedo

Foto do author Lucas Agrela
Por Lucas Agrela
Atualização:

Judoca medalhista olímpico, Flávio Canto passou a dedicar a sua vida a projetos sociais a partir de 2002. Com o Projeto Reação, criado na Rocinha, ele ensina judô e treina habilidades socioemocionais para preparar crianças para o mercado de trabalho e para a vida. Agora, junto com a empresa de tecnologia de viagem Hurb, o projeto de Canto dá aulas de robótica para cerca de cem alunos da comunidade.

O objetivo é criar um vínculo com o mundo da programação e dar mais oportunidades de trabalho com tecnologia. Até 2025, faltarão 532 mil profissionais de tecnologia para as 797 mil vagas que serão criadas em empresas brasileiras, de acordo com a Associação Brasileira de Tecnologia da Informação, Comunicação e Tecnologias Digitais (Brasscom).

Aulas de robótica do Projeto Reação na Favela da Rocinha têm cerca de 100 alunos Foto: Divulgação/Hurb

PUBLICIDADE

Para estimular o engajamento das crianças nas aulas, os robôs fazem diferentes atividades. Eles podem limpar o chão, correr ou até mesmo fazer abdominais. Os blocos que compõem os robôs são coloridos para tornar a atividade ainda mais lúdica.

Os módulos permitem criar construções de diferentes formatos. Uma vez montados, os robôs são ligados a um computador para receber os comandos inseridos no software de programação. Ou seja, os alunos aprendem conceitos básicos de programação e têm um primeiro contato com o mercado de criação de programas de computador. As aulas acontecem às sextas-feiras, em quatro horários diferentes, e estão previstas para durar até o fim do ano, com possibilidade de renovação.

“Quanto mais cedo temos envolvimento com algo, mais fácil é de levar aquilo para a vida. Para os jovens do projeto, trazemos um mundo mágico com esporte e os valores ampliados para fora dele”, diz Canto.

Por enquanto, as aulas de robótica do Projeto Reação em parceria com a Hurb são apenas na Rocinha. Mas já há planos de levar o projeto para outras comunidades que integram a rede de Canto.

Ascensão econômica e social

Para o ex-judoca olímpico, o contato com a tecnologia pode ser uma forma de ajudar na ascensão socioeconômica e emocional dos jovens da comunidade, que podem desenvolver o gosto pela área de exatas e estudar para se tornarem profissionais de tecnologia.

Publicidade

“Grande parte das demissões ocorre por causa das habilidades socioemocionais diferentes das esperadas pelas empresas. No esporte, é possível desenvolver essas habilidades ao longo dos anos e do avanço no judô. A cada arco de desenvolvimento no nosso projeto, trabalhamos em uma capacidade”, explica Canto. “Mesmo sem conhecer totalmente o trabalho para uma função, a pessoa pode ter habilidades como a humildade para chegar a um posto de excelência. Temos de ser faixa preta com espírito de faixa branca.”

Ana Carolina Feliciano, diretora de educação na Hurb, conta que viabilizou as aulas com a empresa Share, especializada em aprendizagem ativa de robótica e matemática. A iniciativa reforça o posicionamento da Hurb como empresa de tecnologia. “Já ensinávamos conceitos de robótica para parentes de funcionários da empresa e levamos esse projeto para o Reação na Rocinha”, diz.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.