Publicidade

Servidores da CGU decidem entrar em greve por tempo indeterminado

Paralisação terá início em 30 de maio e se soma à greve dos trabalhadores do Banco Central e do INSS; já os servidores do Tesouro vão parar a partir do dia 23

Foto do author Antonio Temóteo
Por Antonio Temóteo
Atualização:

BRASÍLIA -Os servidores da Controladoria-Geral da União (CGU) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir de 30 de maio. A decisão foi tomada em em assembleia realizada nesta sexta-feira, 20, pelo Sindicato Nacional dos Auditores e Técnicos Federais de Finanças e Controle (Unacon Sindical), que representa os servidores da CGU. A categoria pleiteia um reajuste salarial de 27%.

Segundo o sindicato, a paralisação foi aprovada por 80% dos trabalhadores. Com essa decisão, o número de carreiras em greve sobe para quatro. Também estão de braços cruzados os servidores do Banco Central (BC) e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os servidores do Tesouro iniciam movimento de paralisação a partir da próxima segunda-feira, 23.

Segundo o sindicato, a paralisação foi aprovada por 80% dos trabalhadores da CGU Foto: CGU

PUBLICIDADE

“A greve é um último recurso, mas neste momento crítico em que o prazo legal para recomposição salarial em ano eleitoral se esgota e em que persiste a sinalização do governo de reajustes discriminando a carreira de Finanças e Controle, os servidores da Controladoria-Geral da União, bem como do Tesouro Nacional, aprovaram a intensificação da mobilização. Não abrimos mão de defender a nossa carreira e nossas instituições”, disse Bráulio Cerqueira, presidente do Unacon Sindical, em nota.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) sinalizou que concederá um reajuste linear de 5% para todas as categorias do funcionalismo, inclusive para as carreiras do Judiciário e do Legislativo. Entretanto, a proposta, que depende de aprovação de deputados e senadores, não foi enviada ao Congresso Nacional.