Target removerá produtos LGBT+ após críticas de clientes

Grupos conservadores criticaram empresa após divulgação da Coleção do Mês do Orgulho LGBT+

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação

A Target removerá parte de sua linha de produtos LGBT+ de sua coleção do Mês do Orgulho LGBT+ após enfrentar críticas dos clientes que ameaçaram a segurança de seus funcionários, afirmou a empresa. O site da varejista apresenta centenas de produtos coloridos do Orgulho, incluindo camisetas arco-íris, copos de cerveja decorados com “Cheers Queers” e um livro infantil sobre pronomes, entre outros.

A Target, uma das maiores varejistas de mercadorias gerais dos Estados Unidos, com mais de 1.900 lojas em todo o país, disse que há mais de uma década oferece produtos em comemoração ao Mês do Orgulho LGBT+, em junho. No entanto, a coleção deste ano resultou em ameaças que colocaram em risco a segurança de sua equipe, afirmou a porta-voz da empresa, Kayla Castañeda, em comunicado.

A Target removerá parte de sua linha de produtos LGBT+ de sua coleção do Mês do Orgulho LGBT+ após enfrentar críticas dos clientes que ameaçaram a segurança de seus funcionários  Foto: Seth Wenig/AP Photo

PUBLICIDADE

“Dadas essas circunstâncias voláteis, estamos fazendo ajustes em nossos planos, incluindo a remoção de itens que foram alvo de comportamentos confrontacionais mais significativos”, disse ela. A empresa não especificou quais itens estão sendo removidos.

Alguns conservadores também pediram um boicote à Target devido à parceria com a marca britânica Abprallen, que, segundo eles, apresenta designs “satanistas”. Alguns dos itens da Abprallen que a Target estava vendendo incluíam um moletom com uma imagem de uma cobra e a frase “Cure a transfobia, não as pessoas trans”, além de uma bolsa com a frase “Nós pertencemos a todos os lugares”. Uma postagem anterior no Instagram do designer, destacada por grupos de mídia conservadores, dizia: “Satã respeita pronomes”.

Os produtos serão removidos de todas as lojas da Target nos Estados Unidos e do seu site, conforme relatado pela Reuters. Embora outros itens estejam sendo revisados, apenas os produtos da Abprallen foram removidos. A seção do Orgulho LGBT+ no site da empresa diz: “Ser verdadeiro consigo mesmo e com sua comunidade é algo para celebrar o ano todo”, convidando os clientes a compartilhar suas descobertas da Target com a hashtag #TakePride.

No Twitter, o governador da Califórnia, Gavin Newsom, acusou o CEO da Target, Brian Cornell, de “trair a comunidade LGBTQ+ para extremistas”. Newsom acrescentou que a decisão da Target “é um ataque sistemático à comunidade gay que está acontecendo em todo o país” e afirmou que isso não se limita aos produtos do Orgulho./The Washington Post

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.