PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Blog dos Colégios

Opinião|Alunos do Marista Glória arrecadam brinquedos para doar a crianças carentes

Campanha promovida no Colégio Marista Glória recolhe brinquedos novos e usados para a ong Amigos do Glicério, que atua na capital paulista

PUBLICIDADE

Os alunos da Internacionalização do Colégio Marista Glória estão promovendo uma arrecadação de brinquedos para a ONG Amigos do Glicério, que serão doados para crianças que vivem em situação de vulnerabilidade social. Pontos de coleta foram distribuídos pelo colégio para que toda a comunidade escolar possa participar. Os brinquedos serão entregues no dia 17 de dezembro.

Antes das doações, os brinquedos que apresentarem pequenos defeitos serão consertados pela artista plástica Ana Paula Cosentino, que trabalha voluntariamente nesta causa. O objetivo da campanha, além de promover o exercício da empatia e da solidariedade, é de estimular o sentido do desapego, o não acúmulo e o não consumismo nas crianças, pilares da sustentabilidade.

As ações que estão sob responsabilidade do coordenador do Marista Idiomas, Thiago Cataldi Carreiro, foram concebidas pela docente Mariana Moura Specian e uma de suas turmas do 1º ano do Ensino Fundamental.

Para Thiago, a desigualdade social, a pobreza, o desemprego de muitas famílias e a fome levam centenas de pessoas às ruas em todo o país. "Nessa perspectiva, estamos buscando fazer um pouco pelas crianças acolhidas pela Amigos do Glicério, trazendo acolhimento, esperança e alegria neste final de ano", afirma.

Publicidade

 

 

Pobreza extrema 

Um relatório recente do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e do Banco Mundial revela que 333 milhões de crianças sofrem com a pobreza extrema ao redor do mundo.  De acordo com o Unicef, cerca de 50% das pessoas em situação de extrema pobreza, globalmente, são crianças, apesar de representarem somente um terço da população mundial. Além disso, a parcela populacional infantil apresenta duas vezes mais chances de viver em domicílios extremamente pobres, sem alimentação, saneamento, abrigo, cuidados de saúde e educação de que necessitam para sobreviver e prosperar.

Após 15 anos sem levantamento, o Censo realizado em 2022 pela Prefeitura de São Paulo, revela uma triste realidade. Quase 4 mil crianças e adolescentes de até 17 anos de idade vivem em situação de rua na capital paulista. Destas, 1.151 têm menos de seis anos de idade, período que corresponde à primeira infância.

Indústria 

De acordo com estatísticas da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), a indústria segue há mais de uma década com performance positiva e, neste ano, o setor espera faturar quase R$ 9 bilhões. O dado representa um crescimento de cerca de 7% em relação ao ano passado e mostra, ainda, um crescimento expressivo desde antes da pandemia da Covid-19.  Em 2019, a indústria do brinquedo faturou R$ 7,2 bilhões. As datas sazonais, como Dia das Crianças e Natal, continuam como as principais responsáveis pelas vendas de brinquedos.

Publicidade

Opinião por Colégio Marista Glória
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.