PUBLICIDADE

Foto do(a) blog

Blog dos Colégios

Opinião|Murais do maior nome da arte sacra brasileira serão restaurados no Marista Glória

Dois murais pintados pelo artista plástico Cláudio Pastro nas paredes do Colégio Marista Glória, irão receber procedimentos de conservação e restauração 

PUBLICIDADE

O interesse acadêmico da arquiteta e urbanista Silvana Borges na obra do considerado o maior nome da arte sacra brasileira, Cláudio Pastro, irá permitir que sejam realizados procedimentos de conservação e restauração de duas pinturas murais situadas no interior do Colégio Marista Glória.

Os dois murais foram executados em tempera pompeiana sobre argamassa e são datados de 1986. O primeiro representa a Sagrada Família no espaço atual da biblioteca, já o segundo possui a temática da catequese com Maria e o Menino Jesus, localizado em uma dependência administrativa.

A proposta da profissional para a restauração dos referidos murais tem como justificativa a importância do trabalho de Cláudio Pastro e a necessidade de preservação de seu legado. A ação também está relacionada com o tema do mestrado profissional de Silvana Borges, em desenvolvimento no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, denominado "Espaço e Liturgia, ontem e hoje: tradição e modernidade na arte e arquitetura sacra cristã a partir da obra de Cláudio Pastro" e, concomitantemente, o projeto profissional intitulado: "A paleta Pastro: a investigação dos pigmentos na pintura de Cláudio Pastro e a simbologia das cores na arte sacra cristã".

O projeto também valoriza o posicionamento do Colégio Marista Glória na preservação das pinturas. "Cláudio Pastro tinha uma ligação muito próxima aos Irmãos Maristas. O trabalho proposto pela Silvana Borges para restauração dos murais é fundamental para conservarmos parte da história deste destacado artista, além de mantermos seu legado", afirma a diretora geral do Colégio Marista Glória, Cláudia Ayres Paschoalin.

Publicidade

A arquiteta observou, em visita ao colégio, que devido ao uso dos espaços onde os murais estão localizados, as paredes que servem de suporte às obras de arte sacra existentes estão sujeitas a desgastes e degradações decorrentes de abrasão, impacto, aderência de material utilizado na reforma e manutenção da edificação, como tintas de repintura de tetos e paredes e até de produtos de limpeza utilizados.

O prazo total para execução e conclusão do trabalho é de até três meses.

Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Silvana Borges é especialista em Conservação e Restauro de Arte Sacra, Arquitetura e Pintura de Cavalete, atuando profissionalmente na preservação do patrimônio artístico e cultural com foco na imaginária sacra (madeira, gesso e terracota), e restauro arquitetônico de pinturas murais: prospecção arquitetônica estratigráfica, colorimetria e reintegração pictórica.

 

Sobre Cláudio Pastro 

Cláudio Pastro é considerado o maior nome da arte sacra brasileira. Também reconhecido internacionalmente, realizou trabalhos em vários países, como Itália, Alemanha, França e Espanha, entre outros.

Publicidade

O artista plástico, falecido em 2016, dedicou-se exclusivamente à arte sacra por 40 anos. Era paulistano, nascido de uma família católica. Sua formação espiritual e litúrgica se consolidou nos mosteiros beneditinos da Anunciação e do Encontro, ambos em Curitiba (PR) e, especialmente, no Mosteiro Nossa Senhora da Paz, em Itapecerica da Serra, São Paulo.

Em 2001, a convite de D. Aloísio Lorscheider, foi oficializado como o único artista a dar andamento nas obras internas da Basílica de Nossa Senhora Aparecida e, por causa deste trabalho, é considerado o "Michelângelo" brasileiro.

Opinião por Colégio Marista Glória
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.