PUBLICIDADE

Força Nacional cerca prédio do MEC em véspera de protesto contra cortes

Segundo o secretário executivo da pasta, ação é para 'evitar qualquer tipo de problema'

Por Ligia Formenti
Atualização:

BRASÍLIA - O prédio do Ministério da Educação (MEC) está desde o início da manhã desta terça-feira, 14, cercado por homens da Força Nacional. A solicitação da segurança extra foi feita pelo próprio MEC, por causa do protesto contra o contingenciamento de R$ 7 bilhões no setor, previsto para quarta. Os portões de entrada do prédio permaneceram fechados desde o início do dia. 

“Temos de estar preparados para evitar qualquer tipo de problema. Simples assim”, afirmou osecretário executivo do MEC, Antonio Paulo Vogel. “Sempre quando tem uma manifestação, todas as áreas do governo se preparam para evitar dano ao patrimônio e danos às pessoas, as forças estaduais acompanham”, completou.

Força Nacional em frente ao prédio do MEC Foto: Dida Sampaio/Estadão

PUBLICIDADE

Questionado sobre a greve, o ministro Abraham Weintraub não quis falar sobre o tema. Vogel, por sua vez, disse não estar acompanhando o movimento. O secretário-executivo também evitou dizer se há possibilidade de retaliação a dirigentes ou universidades que forem palco de manifestações contra o governo. 

Há duas semanas, em entrevista ao Estado, o ministro ameaçou a retirada de verba discricionária de universidades que fizessem “balbúrdia.” Na ocasião, ele citou a Universidade Federal da Bahia, a Universidade Federal Fluminense e Universidade de Brasília.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.