PUBLICIDADE

Impa anuncia como será processo seletivo para sua 1ª graduação, gratuita e com cotas. Veja como é

Instituto, que já tem tradição na área de pesquisa e pós em matemática, agora também formará profissionais para o mercado de tecnologia

Foto do author Giovanna Castro
Por Giovanna Castro
Atualização:

O Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) divulgou nesta segunda-feira, 27, o edital de seleção de estudantes para o seu primeiro curso de graduação. Chamado de IMPA Tech, o bacharelado em Matemática da Tecnologia e Inovação da instituição vai começar em 2024 e será presencial, no Porto Maravalley, polo de tecnologia desenvolvido pela prefeitura do Rio de Janeiro na zona portuária da capital fluminense.

PUBLICIDADE

O curso será gratuito e contará com apoio financeiro e de moradia para os alunos. O foco são estudantes que participaram de olimpíadas de conhecimento ao longo do ensino médio e tiveram boas colocações, demonstrando afinidade com a área das ciências exatas, mas também será possível tentar uma vaga por meio da nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Haverá, ainda, cotas para estudantes de escola pública, pretos, pardos, indígenas, quilombolas, pessoas com deficiência e mulheres – a equidade de gênero ainda é um desafio para o setor de tecnologia, predominantemente masculino.

Fachada do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), na zona sul do Rio.  Foto: Pedro Kirilos/Estadão

Segundo o diretor-geral do IMPA, Marcelo Viana, o objetivo é capacitar os estudantes para entrar de forma efetiva no mercado de tecnologia e inovação, atuando em áreas como inteligência artificial, machine learning, big data, etc.

“Sabemos bem do potencial do conhecimento matemático para contribuir para o desenvolvimento da geração de riqueza. A criação do Impa Tech é mais uma iniciativa, de grande envergadura, do Impa para colocar esse conhecimento a serviço da sociedade brasileira”, diz Viana.

Como se inscrever e como funciona a seleção?

As inscrições para o curso são gratuitas e podem ser feitas de 29 de novembro a 28 de dezembro, no site do Impa. O processo seletivo usará o desempenho dos estudantes em olimpíadas de conhecimento ao longo do ensino médio ou a nota do Enem, além de promover atividades em grupo e entrevistas individuais online.

Quantas vagas serão ofertadas e para quais grupos?

Ao todo, são 100 vagas de graduação neste primeiro ano do curso. Destas, 20 serão para candidatos com melhor desempenho em matemática no Enem e 80 para alunos medalhistas de olimpíadas de conhecimento nas modalidades:

Publicidade

  • Nível 3 na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), promovida pelo próprio Impa;
  • Nível 3 na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM);
  • Modalidade A e/ou B da Olimpíada Brasileira de Química (OBQ);
  • Nível 2 e/ou 3 da Olimpíada Brasileira de Física (OBF);
  • Nível 1 e 2 da Olimpíada Brasileira de Informática (OBI),na modalidade “programação”.

De acordo com o edital, cada medalha garantirá uma pontuação diferente no processo de seleção do IMPA Tech.

Além disso, é importante saber como funciona a divisão de vagas por cotas:

  • Metade das vagas – tanto as de olimpíadas, quanto as do Enem – será reservada para estudantes de escolas públicas, sendo 50% destas exclusivamente para candidatos autodeclarados negros, pardos, indígenas, quilombolas e/ou pessoas com deficiência;
  • 1/4 das vagas por Enem e por olimpíadas, igualmente, será ofertada exclusivamente para mulheres.

Qual é a duração do curso e como funciona a grade curricular?

CONTiNUA APÓS PUBLICIDADE

A duração será de quatro anos, com um ciclo básico de quatro períodos letivos. Posteriormente, os alunos poderão escolher entre as ênfases em:

  • Matemática;
  • Ciência de Dados;
  • Ciência da Computação
  • ou Física.

Ao final, o estudante terá um diploma de bacharelado em Matemática e Tecnologia, com ênfase em uma destas áreas acima.

Onde vai ser o curso e quais são os custos envolvidos?

As aulas acontecerão presencialmente no Porto Maravalley, na zona sul do Rio de Janeiro, onde também estarão startups e empresas de tecnologia. Os estudantes que não forem do Rio terão que se mudar para a cidade.

De acordo com o IMPA, haverá auxílios financeiros e de moradia para os estudantes que precisarem de apoio. O curso é financiado pelo governo federal, por meio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC). Há, também, uma parceria da Prefeitura do Rio de Janeiro, responsável pelo Porto Maravalley.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.