PUBLICIDADE

Homem tenta recuperar jacaré ‘de estimação’ após ter licença ambiental suspensa; entenda

Tony Cavallaro mantinha um jacaré de mais de 3 metros em sua casa nos EUA há três décadas; Departamento de Conservação Ambiental afirma que ele autorizou, de forma ilegal, que outras pessoas tocassem no animal

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Um homem de Hamburg, cidade no estado de Nova York, nos Estados Unidos, está tentando recuperar seu jacaré “de estimação” após o animal ter sido levado por agentes do Departamento de Conservação Ambiental do estado no dia 13 de março.

Há três décadas, Tony Cavallaro, de 64 anos, mantinha Albert, um jacaré de 3,3 metros e 350 kg em sua casa, onde construiu uma piscina com uma cascata, rampa, aquecimento no piso, sistema de filtro subterrâneo e decoração para imitir o ambiente onde muitos animais da mesma espécie vivem no estado americano da Flórida.

Esta foto fornecida por Tony Cavallaro mostra seu jacaré, Albert, dentro do cercado personalizado que ele construiu para o réptil em sua casa. Foto: Tony Cavallaro via AP

PUBLICIDADE

Cavallaro comprou o jacaré ainda filhote em uma exibição de répteis em Columbus, Ohio, em 1990, mas já acumulava animais como lagartixas, camaleões e cobras desde o final dos anos 1980. Na época, ele adquiriu uma licença do Departamento de Conservação Ambiental para manter o animal sob fins educacionais, já que costumava levar Albert a exibições de répteis em faculdades, centros comunitários e parques de diversões, onde ensinava o público sobre eles.

Contudo, a licença expirou em 2021. Cavallaro afirmou ao jornal The Washington Post que solicitou uma nova autorização para manter o animal, mas que precisaria pagar 18 mil dólares para montar uma grade em quintal, além de taxas de renovação.

Em declaração ao veículo, o Departamento de Conservação Ambiental afirmou que Cavallaro autorizou, de forma ilegal, que outras pessoas tocassem em Albert. A agência diz que permitir o contato de outras pessoas com o animal é “proibido e motivo para revogação da licença e realocação”. O jacaré foi levado a um “cuidador licenciado”.

Tony Cavallaro mostra uma foto de seu jacaré, Albert. Foto: Carolyn Thompson/AP

Já o homem argumenta que apenas permitiu que amigos posassem para fotos ao lado de Albert. Ele disse ao The Washington Post que está lutando para ter o animal de volta e fará as mudanças necessárias para manter o jacaré.

“Sinto tanta falta dele. Não consigo nem explicar”, disse Cavallaro, que chama o animal de “bebê” e chegou a incluí-lo em seu testamento, no qual pede para que Albert seja levado para uma reserva de animais em Fort Myers, na Flórida. Uma petição iniciada por uma amiga de Cavallaro pedindo a devolução do jacaré já tem mais de 157 mil assinaturas.

Publicidade

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.