PUBLICIDADE

Manifestantes protestam em frente a prédio de Eddy Jr. contra vizinha racista

Comediantes Yuri Marçal e Paulo Vieira estiveram presente no ato que ocorreu nesta quinta-feira

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Cerca de cem manifestantes fizeram um protesto, na noite desta quinta-feira, 20, em frente ao prédio em que Eddy Jr. foi alvo de ataques racistas da vizinha Elisabeth Morrone. No ato, as pessoas que protestavam pediam a expulsão da mulher do condomínio United Home & Work, no bairro da Barra Funda, em São Paulo.

Manifestação em frente ao prédio de Eddy Jr. Foto: Reprodução/ TV Globo

Entre os participantes do ato estavam a apresentadora Astrid Fontenele e os humoristas Paulo Vieira e Yuri Marçal. Os manifestantes gritavam palavras de ordem como “Expulsa racista”, “Não passarão” e “Agora é assim”, enquanto projeções com essas frases eram feitas no prédio.

PUBLICIDADE

A princípio, a moradora foi multada pelo condomínio em R$ 4.500. Porém, sua expulsão será discutida em reunião de condôminos. Eddy Jr. deixou temporariamente seu apartamento no condomínio, na noite desta quarta-feira, 19, após expôr as ofensas feitas por Elisabeth Morrone.

Contra a sua vontade, o artista, que vem sofrendo ameaças desde abril, disse que não gostaria de sair da própria casa. O comediante ressaltou ainda todo o caso de racismo que aconteceu na noite da última terça-feira, 18.

“Minha campainha tocou. Aí eu fui para a porta e falei: ‘quem que é?’ Aí foi quando ele começou, o filho dela, né: ‘vou te matar, você vai morrer’”, completou. Em seu perfil no Twitter, Eddy Jr. disse na noite da última quarta-feira, 19, que já prestou depoimento sobre o caso.


Entenda o caso

O humorista compartilhou no Instagram um vídeo em que sua vizinha se recusa a entrar no mesmo elevador que ele e propaga diversas ofensas. A agressora também acusou ele de roubar itens de outros moradores.

“Cai fora, macaco”, dizia a mulher na gravação. Ela chegou a dizer que chamaria a polícia caso Eddy se aproximasse. Eddy descreveu o que ocorreu na legenda do post: “Macaco, imundo, feio, urubu, neguinho, um perigoso que não merece morar aqui, uma pessoa que oferece riscos para os moradores desse condomínio”.

Publicidade

“Pra finalizar, tive que ficar dentro da minha casa sofrendo ameaça de morte e calúnias sobre mim. novamente, por ser preto. Ser impedido de entrar no mesmo elevador da moradora branca por ser preto também”, lamentou.

Tudo Sobre
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.