Foto do(a) blog

Futebol dentro e fora do campo

Opinião|Luan: condenar é mais fácil do que tentar descobrir se há algo por trás de sua inapetência com o futebol

Meia está afastado há mais de um ano do time do Corinthians, que lhe paga salário milionário; será apenas um sem-vergonha ou o motivo é outro, e mais grave?

PUBLICIDADE

Foto do author Almir Leite
Atualização:

Jogar pedra é fácil. Ainda mais quando o alvo está bem exposto, pronto para ser atingido. Às vezes, porém, antes de fazer mira e atirar, talvez seja prudente refletir se é mesmo o caso de dar a pedrada. Pode ser que sim, pode ser que não.

PUBLICIDADE

O preâmbulo tem um motivo: Luan. Aquele talentoso meia que surgiu no Grêmio jogando o fino da bola e, entre outros bons serviços prestados ao futebol, foi fundamental para que o Brasil conquistasse em 2016 o sonhado ouro olímpico - sua entrada no time a partir do terceiro jogo da campanha foi decisiva - e no ano seguinte fosse eleito o Rei da América, ou seja, o melhor jogador do continente sul-americano.

São feitos que um jogador de futebol não consegue se não souber jogar, e bem. Luan sabe. Ou vamos considerar a possibilidade de terem colocado nele um pozinho mágico que com o tempo perdeu o efeito? E como na vida há coisas que não se desaprende, não dá para considerar que ele desaprendeu a jogar futebol. Porém, não vem conseguindo jogar.

Luan sorrindo e comemorando com a camisa do Corinthians: cena rara e que não deve se repetir  

É fato, absolutamente constatado, que há tempos ele não faz o que sabe. Ou não consegue fazer. Já nos últimos tempos de Grêmio não era o mesmo. Veio para o Corinthians, por mais de R$ 22 milhões à época, e nada. E tudo indica que sua trajetória chegou ao fim, posto que numa lista de 50, isso mesmo, 50! jogadores inscritos na Libertadores, o nome de Luan não apareceu.

É claro que à primeira vista isso revolta tanto o torcedor como o cidadão comum - que também muita vezes é torcedor. Afinal, um jogador que custou tão caro, que ganha um salário altíssimo (falam em R$ 800 mil por mês) em um país onde a maioria vende o almoço para comprar a janta, não joga. Ou seja, não trabalha. Não se esforça; quando entra, quer dizer entrava, em campo não dava sangue; não reage; não luta; não se interessa...

Publicidade

É um come e dorme (e recebe), um sanguessuga! Está dando um bruta prejuízo ao Corinthians!

Mas também é um ser humano. Aliás, antes de tudo, é um ser humano. É aí que entra a questão? Será que Luan não joga há quatro, cinco anos, apenas porque não quer? Porque se cansou, porque não vê mais graça, porque descobriu que dá para ganhar milhões enganando? Ou é porque não consegue?

Talvez o que esteja acontecendo com o ser humano Luan seja mais grave. Já se falou em depressão. Será (e, nesse caso, será por isso que o Corinthians optou por mantê-lo só treinando, porque se simplesmente o mandasse embora poderia ser pior para o ser humano Luan)?

Não sei o que acontece com ele - e onde fui até agora não encontrei respostas. Por isso, não acho prudente condená-lo. Pelo menos não até saber de fato o que acontece com ele.

Opinião por Almir Leite

Editor assistente de Esportes, cobriu 4 Copas do Mundo e a seleção brasileira por 10 anos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.