PUBLICIDADE

Publicidade

Fenômeno do ciclismo italiano é condenado por matar gato do ministro de San Marino com tiro de rifle

Antonio Tiberi, de 21 anos, matou animal enquanto testava arma e afirma estar arrependido; caso aconteceu em 2022, mas só veio à tona nesta semana

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Antonio Tiberi, ciclista italiano de 21 anos, foi condenado por matar o gato de seu vizinho e ministro de Turismo de San Marino, Federico Pedini Amati, com um tiro de rifle. Ele terá de pagar US$ 4,25 mil (cerca de R$ 22 mil) e pode perder sua cidadania do pequeno enclave europeu localizado no norte da Itália. O atleta também foi suspenso por sua equipe, Trek-Segafredo, pelo período de 20 dias.

O caso aconteceu em junho do ano passado, mas ganhou repercussão nesta semana na imprensa italiana. Tiberi, que havia se mudado recentemente para San Marino, admitiu que testou seu rifle ao mirar na cabeça do gato do ministro. O animal morreu no local após ser baleado. O tiro acertou em cheio.

Ciclista italiano é condenado após matar gato de ministro de San Marino Foto: Reprodução/Instagram @sprintcycling

PUBLICIDADE

“O gato não incomodava ninguém”, disse o ministro ao jornal italiano Corriere della Sera.“Está conosco há muito tempo. Minha filha Lúcia, de 3 anos, o adorava. Você não pode matar um animal de estimação e sair impune com uma multa apenas. Dito isto, não precisamos dar residência a essas pessoas.” O caso foi julgado por um júri de San Marino.

“Lamento profundamente minhas ações vergonhosas. Atirar no gato foi algo tremendamente estúpido e irresponsável, cuja gravidade e perigo só percebi depois. Não quero dar nenhum tipo de desculpa. Aceito com responsabilidade e arrependimento as consequências e a culpa do meu ato. Se não falei publicamente sobre isso antes era apenas por causa de um forte sentimento de vergonha e arrependimento”, escreveu o ciclista em seu Instagram nesta segunda-feira.

Nesta terça-feira, a equipe do ciclista também emitiu um comunicado oficial a respeito do caso, no qual anunciou a suspensão do atleta. “Se necessário, a equipe tomará outras medidas no futuro”. Parte do salário de Tiberi será destinada a organizações de cuidado, proteção e resgate de animais. O ciclista também garantiu que doará a parcela de seus prêmios a instituições de San Marino que cuidam de gatos de rua.

“Infelizmente só posso seguir meu arrependimento com um gesto concreto e útil. Cometi um grande erro e acredito que a única coisa que posso fazer é agir para me redimir”, afirmou o atleta. Tiberi é um dos fenômenos e promessas do ciclismo italiano. Em 2018, foi medalha de bronze no Campeonato Mundial Contrarrelógio Júnior; no ano seguinte, conquistou o ouro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.