PUBLICIDADE

Publicidade

Abel exalta satisfação 'de torcedor', mas contém euforia com boa vitória do Flu

Treinador aproveita para destacar evolução defensiva de sua equipe após vitória por 3 a 0 sobre o Vasco

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O técnico Abel Braga não escondeu a sua satisfação com a boa vitória por 3 a 0 sobre o Vasco, no último domingo, no Engenhão, no clássico que marcou a estreia do Fluminense neste Campeonato Carioca. O treinador, porém, conteve a euforia ao lembrar que o time tricolor precisa seguir evoluindo, mesmo tendo acumulado o segundo triunfo consecutivo nesta temporada - anteriormente havia estreado na Copa da Primeira Liga batendo o Criciúma por 3 a 2, em Juiz de Fora (MG).

PUBLICIDADE

"A minha satisfação é igual a do torcedor, não tenha dúvida disso. Hoje (domingo) fez muito calor, jogamos na terça-feira (pela Primeira Liga) e o Vasco não. Cumprimos muito o que combinamos. Ver o torcedor pulando na arquibancada foi muito bom. Mas não vamos sair daqui achando que está tudo bem. Erramos muito até os 20 minutos do primeiro tempo. Contra o Criciúma, viramos o jogo, coisa que não acontecia no ano passado. E hoje melhoramos após os 20 minutos que não fomos bem", analisou o comandante em entrevista coletiva.

Abel também exibiu empolgação com o desempenho defensivo do Fluminense, que desta vez não levou gols depois de ter sido vazado por duas vezes na vitória sobre o Criciúma. "Não levamos gols, tivemos 11 escanteios contra. O Vasco é o time que mais aproveita a bola parada no Brasil. Então, o nosso aproveitamento foi quase 100%", destacou.

O técnico ainda lembrou que o Fluminense havia conseguido interromper, na última terça-feira, uma sequência muito ruim de jogos amargada na reta final do ano passado. E o triunfo obtido agora no clássico fez a equipe ganhar confiança extra para a continuidade desta temporada, assim como Abel não escondeu o otimismo ao analisar a atuação do time e dos novos reforços contratados pelo clube.

"Tiramos um peso dos 10 jogos sem vitória contra o Criciúma. Hoje (domingo) fizemos coisas interessantes. Quem entrou foi bem. Queria ver ainda o Luiz Fernando, vi logo em um clássico contra dois meias fantásticos, como o Nenê e o Andrezinho. Estamos formando um coletivo forte e, a partir daí, as individualidades vão aparecer. O Orejuela foi fantástico, o Sornoza foi bem. A relação humana está muito bem, isso para mim é tudo. Eu encontro um grupo feliz. E não deixará de ser assim nas derrotas", aposta o treinador, que agora já começa a pensar no duelo que a equipe tricolor fará contra o Resende, quarta-feira, às 16h30, em Moça Bonita, pela segunda rodada da Taça Guanabara.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.