PUBLICIDADE

Publicidade

Autoridades confirmam que corpo encontrado nos destroços de avião é de Sala

Jogador argentino, que havia se transferido do Nantes para o Cardiff, morreu no acidente dia 21 de janeiro

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Autoridades da Inglaterra informaram nesta quinta-feira que o corpo encontrado no avião em que viajava Emiliano Sala é, de fato, do jogador argentino. Em breve comunicado divulgado em seu site oficial, a Polícia de Dorset, condado inglês situado próximo ao Canal da Mancha, confirmou a identidade do corpo.

"O corpo encontrado no Porto Portland foi formalmente identificado como sendo do jogador profissional Emiliano Sala", informou a entidade, que prometeu continuar a investigação sobre o acidente aéreo que causou a morte do argentino.

Emiliano Sala quando atuou pelo Nantes Foto: Stephane Mahe / Reuters

"As famílias do Sr. Sala e do piloto David Ibbotson foram atualizadas com estas notícias e vão continuar sendo apoiadas por oficiais especialmente treinados para assuntos familiares. Nossos pensamentos seguem com eles neste momento difícil. Vamos continuar investigando as circunstâncias desta morte." Sala e Ibbotson estavam a bordo do avião que desapareceu do radar no Canal da Mancha em 21 de janeiro, em voo que ia da cidade francesa de Nantes para Cardiff, a capital do País de Gales. O corpo, agora identificado como sendo do jogador, no entanto, só foi resgatado na noite de quarta (horário de Brasília) pela Agência de Investigação de Acidentes Aéreos da Grã-Bretanha (AAIB, na sigla em inglês). Os investigadores ainda não recuperaram os restos do avião, que estava voando de Nantes a Cardiff depois que o atacante, de 28 anos, acertou a sua transferência do clube francês para a equipe, que disputa o Campeonato Inglês. Os restos da aeronave foram localizados no domingo, após a família do jogador levantar fundos para iniciar uma busca privada com David Mearns, um especialista norte-americano em detecção de naufrágios, em colaboração com investigadores britânicos. Antes, buscas haviam sido feitas pelas autoridades britânicas, mas posteriormente foram interrompidas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.