PUBLICIDADE

Publicidade

CBF mantém convocação de Paquetá após consultar Federação Inglesa sobre acusações

Entidade entende que proibir o meia, denunciado por envolvimento com apostas, de jogar pela seleção pode configurar antecipação de pena; jogador já se apresentou ao técnico Dorival Júnior

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

A CBF comunicou nesta quinta-feira que decidiu manter a convocação de Lucas Paquetá para amistosos da Data Fifa de junho e Copa América. A possibilidade de tirar o meia da lista de convocados foi levantada depois que ele foi denunciado por levar catões deliberadamente para favorecer apostadores, mas a entidade máxima do futebol brasileiro consultou a Federação Inglesa de Futebol (FA, na sigla em inglês) e entendeu que proibir o jogador de servir a seleção poderia configurar antecipação de pena. Paquetá nega as acusações.

PUBLICIDADE

Com a decisão tomado, o meio-campista do West Ham se apresentou ao técnico Dorival Júnior nesta quinta, em Orlando, no estado americano da Flórida, onde será feita a preparação para os próximos compromissos. O Brasil fará dois amistosos, contra México e Estados Unidos, antes da disputa da Copa América a partir de 20 de junho.

Em comunicado do presidente Ednaldo Rodrigues, a CBF informou que tomou a atitude após enviar uma lista de perguntas por e-mail à FA, para tirar dúvidas a respeito do caso. “Conclui-se, de forma categórica, que o jogador Lucas Paquetá, apesar da conduta pela qual fora denunciado autorizasse o afastamento preventivo, conforme previsto no E16.1 do regulamento da FA, não foi apenado até o momento pela entidade processante e legitimada para sancioná-lo.”

Lucas Paquetá vai defender a seleção na Copa América. Foto: Rafael Ribeiro/CBF

O documento prossegue: “E, por assim dizer, é certo afirmar que o atleta está liberado a exercer o seu ofício profissional até o presente momento, fonte de seu sustento e de sua família, de maneira plena e irrestrita, seja pelo seu clube, seja pela seleção do seu país de origem.”

“Nesse contexto, à luz do princípio de matriz constitucional da presunção de inocência insculpido no artigo 5º, LVII, também aplicável na seara administrativa e nos procedimentos esportivos, por força do qual ninguém pode ser considerado culpado enquanto não sobrevier sentença penal transitada em julgado atestando a materialidade e culpabilidade do infrator, não pode a CBF, de forma autoritária e à revelia da Associação Inglesa que conduz o caso, apenar o jogador e proibi-lo de atuar pela seleção nacional, sob pena de configurar evidente antecipação de pena, o que, em hipótese nenhuma, pelo menos diante da legislação pátria atual, pode ser tolerado”, conclui.

Entenda o caso

O meia Lucas Paquetá, do West Ham, foi acusado, há uma semana, pela FA, de quatro violações das regras de apostas do Campeonato Inglês, no que se refere à sua postura dentro de campo em três partidas. Alvo do Manchester City, atual tetracampeão nacional, ele pode ter sua transferência inviabilizada por causa dessas investigações.

A suspeita é de que ele procurou, de forma intencional, ser advertido por árbitros em partidas do West Ham, no intuito de favorecer apostadores. O jogador de 26 anos é investigado por ter forçado situações para receber cartões amarelos em três partidas diferente:

Publicidade

12 de novembro de 2022 - Leicester 2 x 0 West Ham

12 de março de 2023 - West Ham 1 x 1 Aston Villa

21 de maio de 2023 - West Ham 3 x 1 Leeds

12 de agosto de 2023 -Bournemouth 1 x 1 West Ham

PUBLICIDADE

Paquetá tem até o dia 3 de junho para apresentar sua defesa. Quando a denúncia da FA foi formalizada, ele manifestou-se sobre o caso e negou qualquer irregularidade ou conhecimento das apostas suspeitas. Por meio das redes sociais, o jogador revelado pelo Flamengo externou seu descontentamento.

“Estou extremamente surpreso e chateado com o fato de a FA ter decidido me acusar. Cooperei com todas as etapas das investigações e forneci todas as informações que pude durante nove meses. Nego as acusações na íntegra e lutarei com todas as minhas forças para limpar meu nome. Devido ao processo em andamento, não fornecerei mais comentários”, diz a postagem do atleta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.