PUBLICIDADE

Publicidade

Faixas contra Del Nero e CBF são espalhadas por Porto Alegre

Seleção brasileira enfrenta Honduras no Beira-Rio nesta quarta

PUBLICIDADE

Foto do author Almir Leite

Nesta quarta-feira, dia do amistoso entre Brasil e Honduras no Beira-Rio, em Porto Alegre, a capital gaúcha amanheceu com faixas de protesto contra a CBF em diversos pontos da cidade. 'Fora CBF', 'Fora Del Nero' e 'Máfia da Bola' são algumas das palavras de ordem inscritas nos adereços.

PUBLICIDADE

As faixas teriam sido idealizadas e produzidas pelo grupo 'O Povo do Clube', que se define como um movimento político de torcedores do Internacional. Elas foram colocadas na Avenida Silva Só, Avenida Goethe e em frente à Rodoviária de Porto Alegre. Ao final da manhã, porém, apenas a faixa da Rodoviária continuava exposta.

Os torcedores do movimento pedem: 'fora Del Nero', 'fora máfia da bola' e 'fora CBF'. 'O futebol é do povo', diz outra das faixas. Uma manifestação pacífica organizada pelo grupo também está marcada para as 18h no Largo Glênio Peres e é divulgada através das redes sociais.

Faixa de protesto contra a CBF posicionada na Rodoviária de Porto Alegre Foto: Almir Leite/Estadão

"Chegou o momento, a oportunidade da limpeza do futebol que tanto amamos. Hora de derrubar a Máfia da Bola, de acabar com a corrupção dos filhos de Teixeira. Marin caiu Del Nero será o próximo. Lembremos 2005 e tantos outros momentos, lembremos que o futebol é do povo e de mais ninguém! Fora CBF corrupta! Liga dos Clubes já!", afirma a página oficial do movimento nas redes sociais, mencionando o Campeonato Brasileiro de 2005, em que o Corinthians se sagrou campeão e o Inter, vice, após escândalos de arbitragem.

Na última segunda, o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, garantiu, em reunião com dirigentes dos clubes da Série A, que não renunciará ao cargo após as denúncias de corrupção contra as antigas administrações, de Ricardo Teixeira e José Maria Marin. Apesar de não existir denúncias específicas contra Del Nero, e-mails obtidos pelo Estado revelam que o dirigente era considerado 'homem forte' da entidade, principalmente na gestão Marin.

Brasil e Honduras se encaram no estádio do Inter, às 22h desta quarta-feira. Até terça, apenas metade dos ingressos disponibilizados haviam sido vendidos. 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.