PUBLICIDADE

Publicidade

Inter é denunciado por confusão no Beira-Rio e pode perder dez mandos

Tumulto na partida contra o Criciúma pode gerar punição exemplar ao clube gaúcho na Série B

PUBLICIDADE

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

Os tumultos envolvendo a torcida do Internacional após a partida contra o Criciúma podem render uma dura punição ao clube gaúcho. Nesta quarta-feira, o time foi denunciado ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelos incidentes ocorridos no Beira-Rio e será julgado na próxima sexta-feira, podendo perder até dez mandos de jogo na Segundona.

Beira-Rio. Foto: Edison Vara/Reuters - 18/2/2014

PUBLICIDADE

Após o empate por 1 a 1 na partida disputada em 8 de julho, torcedores provocaram tumulto nos arredores do estádio do Inter e entraram em conflito com a Brigada Militar. "Nos arredores do estádio, houve protestos de torcedores do Internacional, tais como lançamentos de bombas, brigas entre a mesma torcida (Internacional), depredação em parte do estádio e derrubamento de grades de proteção", escreveu o árbitro Dyorgines José Padovani de Andrade no relatório da partida. A procuradoria do STJD decidiu denunciar o Inter pela "desordem" no estádio por considerar que "a torcida é responsabilidade do clube, pois este e sua torcida, seja ela organizada ou não, são partes indissociáveis; um não existe sem o outro; um não tem razão de ser sem o outro". Assim, o Inter foi denunciado no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que versa sobre "deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto". A pena varia de multa de R$ 100 a R$ 100 mil, com perda de mando de campo de um a dez jogos.

O cenário de guerra no Beira-Rio e seus arredores já havia ocorrido em outros tropeços do time na Série B, como na derrota para o Boa por 1 a 0. Depois disso, o Inter reforçou a segurança no estádio nos jogos recentes como mandante. Nos dois últimos, a equipe superou Luverdense (1 a 0) e Oeste (2 a 0) e acalmou a ira da sua torcida.