PUBLICIDADE

Publicidade

Leila Pereira chama John Textor de ‘idiota’ e dispara: ‘Tudo começou nos 4 a 3 para o Palmeiras’

Presidente do clube paulista volta a detonar alegações do dono da SAF do Botafogo de que há manipulação no futebol brasileiro; executiva também diz se pensa em assumir a presidência da CBF

PUBLICIDADE

Foto do author Milena Tomaz
Atualização:

A presidente do Palmeiras, Leila Pereira, voltou a falar sobre as acusações do dono da SAF do Botafogo, John Textor, de que teria ocorrido manipulação de resultados no futebol brasileiro nas últimas temporadas. A executiva do clube paulista cobrou a apresentação de provas de corrupção e disse considerar as alegações “uma vergonha”.

“Esse senhor, com o perdão da expressão, é um idiota. O que esse John Textor está achando é que o Brasil é uma bagunça e que as autoridades não tomam providência nenhuma. Para se coibir isso, acho que esse homem tem que ser banido do futebol brasileiro”, disse Leila Pereira durante o “Roda Viva”, da TV Cultura.

Leila Pereira falou sobre alegações de John Textor no Roda Viva, da TV Cultura. Foto: Reprodução/TV Cultura

PUBLICIDADE

Leila indicou ainda que o mandatário do Botafogo não superou a virada do Palmeiras no jogo contra o Botafogo pelo Campeonato Brasileiro do ano passado. “Tudo começou nos 4 a 3 para o Palmeiras. Pode ter certeza. O clube (Palmeiras) está perdendo de 3 a 0 no primeiro tempo. Aos 37 minutos um pênalti e, depois, a virada história de 4 a 3. Que manipulação tem aí?”, questionou ela.

No início do mês, John Textor apresentou relatório em que aponta manipulação de resultados no jogo entre Palmeiras x São Paulo, em que o time tricolor foi goleado por 5 a 0, em outubro de 2023. De acordo com o texto, ao menos cinco atletas são-paulinos teriam corrompido o jogo.

“Um total de sete jogadores apresentaram desvios anormais em situações-chave de marcação de gols, embora apenas cinco tenham ultrapassado os limites que estabeleceriam provas claras e convincentes de manipulação do jogo”, apontou o documento.

Na época, o São Paulo se pronunciou por meio de nota oficial e repudiou as “graves e infundadas” alegações. “Tal afirmação sem nenhum vestígio de prova ataca a idoneidade de jogadores do elenco profissional masculino e a lisura da instituição São Paulo FC em seus 94 anos de história. O clube já acionou seu departamento jurídico, que estudará e tomará as medidas cabíveis na esfera legal”, disse o clube.

Nesta segunda-feira, Leila Pereira também falou sobre isso. “Que manipulação tem quando a gente vence o São Paulo por 5 a 0? Quando o São Paulo entregaria um jogo para seu arquirrival. Acho que ele (Textor) é um louco”, afirmou a presidente.

Publicidade

Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga manipulação de jogos e apostas esportivas no futebol brasileiro, o mandatário reafirmou as alegações e, segundo senador, apresentou “indícios importantíssimos” durante reunião.

Leila comenta dívida do Palmeiras com a Crefisa

Durante a participação no programa, Leila Pereira também destacou que as dívidas do Palmeiras são equilibradas e garantiu que uma das contas será paga ainda nesta temporada. “(A dívida com a Crefisa) no final deste ano a gente liquida essa pendência”, afirmou ela.

A presidente relatou que trabalha com “os pés no chão” em relação ao dinheiro. “Pagamos problemas de administrações passadas. Fui a única presidente que, no meio do ano passado, não contratou nenhum atleta, e fui muito criticada por isso. Eu faço o que o Palmeiras tem capacidade financeira de honrar”, explicou Leila.

Futura presidente da CBF?

PUBLICIDADE

Leila foi questionada se pensa em assumir a presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no futuro e afirmou que está focada nas coisas a curto prazo. “O que penso hoje é continuar presidente do Palmeiras, conquistar o maior número de títulos possíveis. Em novembro, se os associados continuarem confiando no meu trabalho, gostaria muito de ser reeleita”, disse.

A presidente ainda ressaltou que, caso permaneça no cargo, será sua última passagem como mandatária do clube. “Vai ser minha ‘last dance’. Não volto mais para ser presidente do Palmeiras. O futuro, a Deus pertence”, afirmou Leila.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.