PUBLICIDADE

Lula define luto oficial de 3 dias: ‘Exemplo de brasileiro que não desistia nunca’; veja repercussão

Zagallo, ex-jogador e ex-treinador da seleção brasileira, morreu aos 92 anos na noite de sexta-feira

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou, neste sábado, 6, a morte do ex-jogador e ex-treinador da seleção brasileira de Futebol, Mário Jorge Lobo Zagallo. Em uma publicação no seu perfil do antigo “Twitter”, o “X”, Lula afirmou que Zagallo foi um dos maiores jogadores e técnicos de todos os tempos e chamou atenção para as características que marcaram a trajetória do Velho Lobo. Além disso, Lula declarou luto oficial de três dias.

“Corajoso, dedicado, apaixonado e supersticioso, Zagallo era exemplo de brasileiro que não desistia nunca. É essa lição e espírito de carinho, amor, dedicação e superação que ele deixa para todo o nosso país e para o futebol mundial”, afirmou o presidente.

França, Saint-Denis. 25/05/1998. Zagallo durante treino da Seleção Brasileira na véspera do início da Copa do Mundo 1998, na França.  Foto: Célio Junior/Estadão Conteúdo

PUBLICIDADE

Zagallo morreu na sexta-feira, 5, aos 92 anos em decorrência de um quadro de falência múltipla dos órgãos. Ele estava internado no Hospital Barra D’Or, no Rio de Janeiro, desde o dia 26 de dezembro. O velório é realizado na sede da CBF, na Barra da Tijuca, e é aberto ao público.

Em sua homenagem, o presidente Lula relembrou a trajetória do ícone do futebol brasileiro e se solidarizou a com a família, os amigos e os admiradores de Zagallo.

“Mário Jorge Lobo Zagallo foi um dos maiores jogadores e técnicos de futebol de todos os tempos, um grande vencedor e símbolo de amor pela seleção brasileira e pelo Brasil. Maior vencedor individual da história da Copa do Mundo, sendo campeão duas vezes como jogador, campeão e vice campeão como treinador e campeão como coordenador da seleção em 1994. O único a participar de quatro conquistas mundiais, dirigiu o maior time de futebol da história, a seleção brasileira de 1970″, escreveu Lula.

Além de Lula, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), manifestou pesar pela morte de Zagallo. Em seu perfil no “X”, Lira que também é nascido no Estado de Alagoas, como Zagallo, afirmou que o legado do atleta “ficará para sempre”.

“A morte de Zagallo, aos 92 anos, encerra a fase mais brilhante do futebol brasileiro”, escreveu o presidente da Câmara.

Publicidade

Lira elogiou Zagallo como jogador e como técnico, afirmando que o conterrâneo “brilhou como poucos”.

“Devemos louvar Zagallo com todas as honras pela conquista de 4 copas do mundo. Por onde passou ele deixou marcas de profissionalismo, dedicacão e espírito vitorioso. Zagallo foi ímpar no seu patriotismo, na demonstração de amor pelo Brasil e pela ‘amarelinha’, como carinhosamente chamava a camisa da seleção brasileira”, afirmou.

Já o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, afirmou que Zagallo é uma potencial inspiração para futuras gerações.

“ Dono de um feito raro por ter conquistado 4 Copas do Mundo como jogador e treinador, Zagallo deixa um legado para as gerações, que podem se inspirar no seu espírito desportivo e na sua paixão pelo Brasil”, escreveu no “X”.

Logo na madrugada o ministro do Esporte, André Fufuca, comentou sobre a morte do ídolo:

“Aos 92 anos, nos despedimos de uma das maiores lendas do futebol brasileiro. Mário Jorge Lobo Zagallo, o Velho Lobo, conquistou quatro títulos mundiais pela Seleção: dois como jogador (58, 62), um como treinador (70) e outro como auxiliar (94). Descanse em paz, Zagallo!”, publicou no “X”.

O ministro da Casa Civil, Rui Costa, destacou o fato de Zagallo ser o único tetracampeão mundial de futebol.

Publicidade

“ Com tristeza, recebi a notícia da morte do único tetracampeão mundial de futebol, o nosso eterno Zagallo. O Velho Lobo deixou um legado que jamais será esquecido e seu nome gravado para sempre na história do futebol em todo o mundo. Força aos amigos, familiares e fãs”, escreveu no X.

O ministro da Justiça e Segurança Pública e futuro ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Flávio Dino, publicou uma foto da seleção brasileira de 1958 para homenagear o ídolo.

“Homenagens ao Zagallo, brasileiro multicampeão, que brilhou no Botafogo e na Seleção. Timaço do título mundial de 1958 está todo reunido no céu”, escreveu no “X”.

O ministro da Educação, Camilo Santana, também lamentou a morte de Zagallo e afirmou que “o mestre descansou”.

“Um dos maiores nomes na história do futebol brasileiro e único tetracampeão mundial, Zagallo vai deixar muitas saudades e o seu legado certamente será lembrado pelas futuras gerações. Forças para a família, amigos e fãs”, escreveu no “X”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.