PUBLICIDADE

Publicidade

Murilo, do Palmeiras, realiza sonho do pai ao defender a seleção brasileira ‘cabeludo’

Depois de deixar o cabelo crescer, zagueiro é convocado por Dorival Júnior e abre barbearia para manter o seu visual e o dos companheiros em dia

PUBLICIDADE

Foto do author Ricardo Magatti
Atualização:

Em maio do ano passado, dias depois de lesionar gravemente o seu ombro, Murilo decidiu que deixaria o cabelo crescer e mentalizou que seria convocado à seleção brasileira. Quase um ano depois, ele, “cabeludo”, abriu uma barbearia e o seu desejo foi atendido. O chamado de Dorival Júnior significa para o atleta a realização de seu sonho e também de seu pai, que tinha o desejo que o filho representasse o Brasil com o cabelo grande.

PUBLICIDADE

“Sempre falei com meu pai que realizaria esse sonho. Vinha buscando esse sonho há muito tempo”, diz Murilo, em entrevista que o zagueiro deu ao Estadão de sua barbearia, na zona oeste de São Paulo, a poucos quilômetros do Allianz Parque e do CT do Palmeiras.

Foi na sala vip do novo empreendimento que ele descobriu que havia sido convocado por Dorival para os amistosos com Inglaterra e Espanha na Europa. O pai chorou e a mulher ligou para avisá-lo da convocação. Ele estava com Mayke, seu companheiro do Palmeiras, quando recebeu a notícia. O lateral e outros atletas do elenco, como Zé Rafael, Rony, Luís Guilherme, Lázaro e Breno Lopes foram no evento de inauguração da barbearia.

“Passou um filme de um momento especial por tudo que passei. Vieram várias memórias de todas as dores, todas as dificuldades que tive. Foram várias”, afirma ele sobre o que pensou quando soube que descobriu que tinha sido chamado para a seleção”.

Murilo, zagueiro do Palmeiras, é dono de barbearia em São Paulo Foto: Taba Benedicto/Estadão

“Estou lendo um livro em que fala que não existe a pessoa se autosabotar, fraquejar, você tem poder, você consegue fazer muitas coisas se você for determinado. Venho pensando muito nisso e sair da bolha de só jogar futebol e conseguir outras coisas na minha vida. Venho conquistando cada vez mais. Vejo que posso ajudar outras pessoas, abrindo essa barbearia posso ajudar um funcionário que estava desempregado, por exemplo”, complementa o jogador e empresário.

Murilo se apresentou à seleção em Londres, onde o time enfrenta a Inglaterra no próximo sábado, com o cabelo grande. Já que seu plano deu certo, o visual será mantido. “Não vou cortar agora, impossível”, diz. “É algo que eu gosto, o cabelo maior. Vou só aparar e manter”.

O zagueiro já era dono de uma padaria e de uma escolinha de futebol em São Gonçalo dos Campos, sua cidade natal na Bahia. Como gosta de empreender e de cuidar de seu visual, resolveu abrir a barbearia com o sócio Tauan, que, antes, ia duas vezes por semana na casa do jogador cortar seu cabelo.

Publicidade

Convocação à seleção é sonho de Murilo e de seu pai Foto: Taba Benedicto/Estadão

“Abri a barbearia por estar sempre gostando de cuidar do meu visual, do cabelo. Vejo que é algo importante principalmente para nós, homens. Os homens não são como as mulheres, que tem cílios, maquiagem, várias coisas. Para nós, é o cabelo. Sempre quando estamos mais largados, a gente ajeita o cabelo e se alinha, fica na régua, com a autoestima melhor”, conta.

O baiano de 24 anos saiu de São Gonçalo dos Campos cedo, ainda criança. Fez toda sua formação no Cruzeiro, que o revelou para o futebol. Depois, passou três anos no Lokomotiv, da Rússia, até ser repatriado pelo Palmeiras em 2022 a pedido de Abel Ferreira, que queria um zagueiro canhoto. Murilo é destro, mas joga no lado esquerdo da zaga e levou pouco tempo para se tornar titular e personagem importante nas últimas conquistas do atual campeão paulista e brasileiro.

Recentemente, ele renovou o seu contrato com o Palmeiras até o final de 2027 graças aos seus expressivos na equipe. Em pouco mais de duas temporadas, são 117 jogos, 17 gols e cinco assistências. Ele é o zagueiro com mais gols pelo time em uma única temporada: 11 em 2022, ao lado de Gustavo Gómez (também em 2022).

PUBLICIDADE

“No ano passado eu já estava esperando a convocação, pelo ano que fiz em 2022. Mantive uma sequência boa em 2023, vindo bem, fazendo gols decisivos, fazendo meu trabalho lá atrás. Por tudo que construí no Palmeiras, esperava”, afirma o jogador, que diz ter se adaptado ao Palmeiras rapidamente porque o grupo “é top” e a estrutura também.

O defensor chegou ao Palmeiras meses depois de o time ganhar o tri da Libertadores, título que o zagueiro ainda não tem. “Quero mais convocações e também ser campeão da Libertadores. É um grande sonho que eu tenho”, diz ele, sobre suas metas. Murilo se adaptou rapidamente

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.