PUBLICIDADE

Pia Sundhage é eleita 'Mulher Sueca do Ano' e sucede Greta Thunberg em premiação

Treinadora da seleção brasileira feminina afirma se sentir orgulhosa com a condecoração distribuída pela SWEA International

Foto do author Redação
Por Redação
Atualização:

À frente da seleção brasileira feminina desde julho de 2019, a técnica Pia Sundhage foi escolhida para receber o prêmio "Mulher Sueca do Ano" de 2020. A condecoração é distribuída pela SWEA International, uma organização que reúne mulheres suecas que residem dentro e fora do país.

"Me sinto orgulhosa de ser nomeada Mulher Sueca do Ano pela SWEA. Porque isso significa que o futebol feminino está sendo notado. E vale a pena. Obrigada", disse Pia ao receber o prêmio.

Pia Sundhage, técnica da seleção brasileira feminina de futebol Foto: Lucas Figueiredo/CBF

PUBLICIDADE

A treinadora sueca assumiu o comando da seção brasileira em julho de 2019, tendo acumulado seis vitórias, quatro empates e uma derrota. O bom desempenho levou a equipe nacional a ascender três posições no ranking feminino, atingindo o oitavo lugar.

"Pia Sundhage é a maior estrela da Suécia no futebol feminino - uma pioneira! Através de sua longa carreira como jogador de futebol, treinador de futebol e na seleção nacional da Suécia, EUA e Brasil, Pia colocou a Suécia no mapa do mundo. Como uma das primeiras profissionais internacionais no futebol feminino, ela inspirou muitas mulheres e, como treinadora, destaca as mulheres e a Suécia, espalhando nossa base de valores onde atua no mundo. Pia é um excelente embaixadora do que há de melhor na Suécia e ainda inspira muitos jovens jogadoras de futebol ao redor do mundo", afirmou a SWEA International na justificativa pela escolha de Pia.

A treinadora da seleção brasileira sucede na premiação a ativista ambiental Greta Thunberg, a escolhida para receber a honraria em 2019. Ex-jogadora de sucesso, tendo sido campeã da Eurocopa em 1984, Pia também tem ótimo histórico como técnica, incluindo a medalha de ouro do torneio feminino de futebol na Olimpíada de Londres, nos Estados Unidos, em 2012.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.