PUBLICIDADE

Publicidade

Quem é Estevão: o ‘novo Endrick’ do Palmeiras de 16 anos que já encanta Abel e a torcida

Chamado de ‘Messinho’ na base, meia-atacante marcou pela primeira vez como profissional e foi o grande destaque da vitória por 3 a 1 sobre o Liverpool-URU, nesta quinta-feira, pela Libertadores

PUBLICIDADE

Foto do author Rodrigo Sampaio
Atualização:

A três meses da transferência de Endrick para o Real Madrid, o torcedor do Palmeiras foi presenteado com mais uma joia da Academia. O meia-atacante Estêvão, de apenas 16 anos, foi o grande destaque da vitória do time de Abel Ferreira sobre o Liverpool-URU, nesta quinta-feira, no Allianz Parque. Escalado como titular, o jovem balançou as redes pela primeira vez como profissional, definindo o placar por 3 a 1 e se tornando o terceiro jogador mais novo a balançar as redes pelo clube, atrás apenas de Endrick e Heitor.

“Quando ele (Abel) falou que eu iria começar jogando, eu agradeci a Deus. Só Deus sabe o quanto eu lutei para estar aqui. Fico muito feliz, só tenho que agradecer ao Palmeiras também por ter dado a oportunidade. Fico muito feliz pelo gol, por ter contribuído e ajudado a equipe com a vitória”, disse Estêvão, em entrevista logo após o final da partida.

Estêvão comemora gol pelo Palmeiras na Libertadores.  Foto: Nelson Almeida/AFP

Estêvão já havia participado de treinos com o elenco principal do Palmeiras no ano passado, mas subiu definitivamente para os profissionais neste ano. Alguns dos motivos que aceleraram a integração do jovem foi a lesão no início do ano de Luis Guilherme — outra joia da Academia, de 18 anos, que também se destacou contra o Liverpool — e o ótimo desempenho no Mundial Sub-17, na Indonésia, pela seleção brasileira.

Nascido em Franca, no interior de São Paulo, Estêvão começou no futebol aos 11 anos, no próprio Palmeiras, mas pouco tempo depois saiu para atuar pelo Cruzeiro. Divergências fizeram o atleta deixar o clube mineiro aos 14 anos, abrindo caminho para um retorno à Academia palmeirense. A habilidade com dribles curtos e o faro artilheiro fizeram o jovem ganhar o apelido de “Messinho” ainda na base alviverde.

PUBLICIDADE

Apesar do talento notável, não existe um planejamento específico para Estêvão assim como aconteceu com Endrick. Ele é visto como um jogador de grande potencial e arrancou elogios de Abel Ferreira após a partida contra o Liverpool. O garoto disputou 34 partidas com o time sub-17 em 2022 e outros 18 jogos com o sub-20 em 2023. Pelo clube alviverde, foi campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior neste ano, além dos títulos dos Campeonatos Paulistas sub-17 e sub-15 da temporada passada e do bi da Copa do Brasil Sub-17 em 2022 e 2023.

Estêvão tem contrato profissional com o Palmeiras até abril de 2026, com multa de 45 milhões de euros (R$ 238,9 milhões) — o vínculo mais curto se deve às normas relativas à idade do jogador. Ele já recebeu sondagens de clubes da Europa e, em 2022, rejeitou uma oferta de se transferir para o Paris Saint-Germain para continuar sua formação na equipe paulista.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.