PUBLICIDADE

Publicidade

Análise|São Paulo se livra de Carpini, evolui e vence a primeira no Brasileirão

Sob os olhares de seu novo técnico, o argentino Zubeldía, time tricolor se vale das fraquezas do Atlético-GO para ganhar com facilidade em Goiânia

Foto do author Ricardo Magatti
Atualização:

Depois de demitir Thiago Carpini, o São Paulo conquistou seus primeiros pontos no Brasileirão neste domingo. Sob os olhares de seu novo treinador, o argentino Luis Zubeldía, o time tricolor se valeu das fraquezas e dos erros do Atlético Goianiense para ganhar por 3 a 0 fora de casa e comemorar sua primeira vitória no campeonato. Foram de Calleri, Luciano e Ferreira os gols que garantiram o tranquilo triunfo em Goiânia.

PUBLICIDADE

Com três pontos, o São Paulo melhora sua posição na tabela do Brasileirão. Agora é o 14º. O Atlético-GO perdeu as três primeiras partidas e segue sem pontuar. Tem, ao lado do Cuiabá, a pior campanha da competição.

Milton Cruz, auxiliar da comissão fixa que assumiu interinamente o time em Goiânia, resolveu armar o time com três zagueiros. No primeiro confronto sem Carpini, a equipe se comportou bem, sobretudo no aspecto anímico. Pareceu mais leve, sem a pressão de outrora e jogou à vontade. Não fez a melhor de suas apresentações, mas nem precisou, porque o Atlético-GO errou demais, teve dois expulsos, cometeu um pênalti tolo e facilitou a vida dos são-paulinos.

O São Paulo dominou a maior parte da etapa inicial e abriu o placar cedo, o que o deixou tranquilo. Aos 13 minutos, André Silva colocou a bola na cabeça de Calleri, que guardou. Os visitantes se defenderam com competência e impediram que os goianos encontrassem espaços entre os três zagueiros, tanto que o goleiro Rafael pouco trabalhou.

No segundo tempo, Luiz Felipe decidiu deixar ainda mais favorável o cenário ao São Paulo. O zagueiro do Atlético-GO acertou o cotovelo no rosto de Luciano dentro da área e foi expulso. Bráulio da Silva Machado não viu o lance, mas o VAR, sim. O juiz foi ao monitor para confirmar que o árbitro de vídeo estava certo. Apresentou o vermelho ao defensor e assinalou a penalidade. Luciano bateu no canto e ampliou o placar.

Calleri comemora seu gol contra o Atlético Goianiense Foto: Rubens Chiri/São Paulo FC

Tranquilo, o São Paulo nem precisou se esforçar muito para chegar ao ataque. O próprio Atlético esbarrava em seus erros e facilitava a vida dos visitantes. Depois de Luiz Felipe, foi a vez de Gabriel Barros ser expulso. O atacante do time mais indisciplinado do Brasileirão levou o segundo amarelo depois de falta não tão dura em Pablo Maia. Na estreia contra o Flamengo, a equipe de Goiânia já havia tido dois expulsos.

Contaminada pelas expulsões, a partida ficou extremamente fácil ao São Paulo, que fez o terceiro gol, o mais bonito deles, com Ferreira. O atacante driblou em velocidade e concluiu no canto esquerdo para selar o triunfo são-paulino na capital goiana que dá ânimo ao elenco e agrada o novo comandante.

Publicidade

Zubeldía esteve nas tribunas do Estádio Antonio Accioly e viu de perto a vitória. Nesta semana,, o treinador começa os trabalhos no CT da Barra Funda. A estreia será contra o Barcelona de Guayaquil, no Equador, pela Libertadores, na próxima quinta-feira.

ATLÉTICO-GO 0 X 3 SÃO PAULO

  • ATLÉTICO-GO: Ronaldo; Bruno Tubarão, Luiz Felipe, Alix VInícius e Guilherme Romão; Roni (Rhaldney), Baralhas (Lucas Kal), Alejo Cruz (Gabriel Barros); Shaylon, Emiliano Rodríguez (Max) e Luiz Fernando (Maguinho). Técnico: Jair Ventura.
  • SÃO PAULO: Rafael; Arboleda, Alan Franco (Rodrigo Nestor) e Diego Costa; Igor Vinícius, Pablo Maia (Michel Araújo), Alisson (Bobadilla), Luciano (Galoppo) e Wellington; Calleri e André Silva. Técnico: Milton Cruz (interino).
  • GOLS: Calleri, aos 13 do primeiro tempo. Luciano, aos sete, e Ferreira, aos 30 do segundo tempo.
  • ÁRBITRO: Bráulio da Silva Machado.
  • CARTÕES AMARELOS: Roni, Baralhas, Luiz Fernando
  • CARTÃO VERMELHO: Luiz Felipe e Gabriel Barros,
  • PÚBLICO: 9.017 torcedores.
  • RENDA: R$ 763.180.00.
  • LOCAL: Estádio Antônio Accioly, em Goiânia.e34r
Análise por Ricardo Magatti
Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.